sábado, 17 de abril de 2010

Ilha da Madeira II


Ninguém pode pronunciar-se acerca da sua coragem quando nunca esteve em perigo
(La Rochefoucauld)



Termino hoje a minha viagem, através de fotografias, pela Ilha da Madeira com um local incontornável localizado na zona norte da ilha, banhado pelo Oceano Atlântico: Porto Moniz.



O nome da vila vem do tempo do inicio do povoamento desta zona  da ilha. Francisco Moniz, o Velho, foi talvez um dos primeiros seus povoadores pois ali se fixou, juntamente com um grupo de pessoas que para ele trabalhavam.
Durante muito tempo, a povoação de Porto Moniz permaneceu isolada pois,  não tendo estrada e situando-se numa região de difícil acesso, era  pouco conhecida e divulgadoa A partir de  1914, data em que  foi ligada por estrada à cidade do Funchal, começou a sair do anonimato. Os turistas  descobriram então um município com uma magnífica  paisagem onde a natureza se apresenta em todo o seu esplendor. 



As vertentes íngremes da costa resultantes da lava vulcânica que escorreu  até ao oceano, apresentam aqui e além quedas de água, que escorrem para as ribeiras ou se precipitam no mar,   maravilhando os olhos dos visitantes.


A vegetação luxuriante deixa todos os visitantes maravilhados, mas a  principal atracção deste município encontra-se na  vila, sede de município, e  são as suas piscinas naturais de água salgada.





Neste concelho  existem três piscinas naturais formadas entre as rochas vulcânicas, onde se pode deesfrutar das águas frescas e, com um pouco de sorte  pode ver os peixes que nadam junto ao fundo.




Por isto e pelo que mostrei nas postagens anteriores, a Madeira é um destino que recomendo. Numa altura em que os madeirenses estão empenhados  numa fase de reconstrução,  a visita será uma boa contribuição. Mesmo após os acontecimentos de Fevereiro passado,   a ilha é muito bonita e ninguém ficará indiferente aos  seus encantos.




Obrigada pela sua visita. Volte sempre.

1 comentário:

Viriato Libertador disse...

Infelizmente uma das principais atracções do norte da ilha desapareceu. O célebre véu da noiva abateu-se numa quebrada...

Enfim, coisas da natureza.