segunda-feira, 18 de junho de 2018

Folk Bairro Alto: Da Aldeia para a Cidade

Da Direcção  do Rancho Folclórico da Ribeira recebi o pedido de divulgação de mais uma das suas iniciativas, que passo a transcrever. 


“NOTÍCIA” 
Folk Bairro Alto: Da Aldeia para a Cidade!


A parceria entre o Rancho Folclórico da Ribeira de Celavisa e a Junta de Freguesia da Misericórdia tem sido desenvolvida nos últimos anos, assente em pilares sólidos. Tal cooperação culminará com a organização deste evento, que se profetiza destacar da agenda cultural de Lisboa.
O evento será realizado no Jardim de São Pedro de Alcântara, um dos excelentes miradouros de Lisboa, que marcará o encerramento do Arraial de São Pedro de Alcântara. O seu cartaz incluí um programa rico em tradições e cultura, complementando deste modo os afamados arraiais alfacinhas.
No dia 30 de junho (sábado) haverá um Encontro de Concertinas e Instrumentos Tradicionais, onde os visitantes e transeuntes poderão disfrutar de música tradicional portuguesa, tendo a oportunidade de cantar e dançar durante toda a tarde. Já o dia 1 de julho (domingo) ficará marcado pela realização de um Encontro de Folclore, que contará com a presença de 5 grupos folclóricos, demonstrando as tradições, usos e costumes dos seus antepassados com a maior supremacia, graças à sua qualidade etnográfica.
Durante todo o evento haverá bar aberto, venda de enchidos, queijos, outros produtos regionais, artesanato e doçaria típica (como filhoses).
De um modo mais pormenorizado, o programa consta de:
30.Junho
16h00m – Abertura das tasquinhas
17h00m – Encontro de Concertinas e Instrumentos Tradicionais
20h30m – Arraial
1.Julho
14h00m – Abertura das tasquinhas
15h00m – Desfile etnográfico
16h00m – Encontro de Folclore:
1.      Rancho Regional e Folclórico de Candosa - Beira Alta Serrana
2.      Grupo Folclórico “Danças e Cantares de Fonte da Senhora” - Estremadura Sul
3.      Grupo Folclórico de Santa Cristina do Couto - Baixo Minho
4.      Rancho Folclórico do Granho - Ribatejo-Charneca
5.      Rancho Folclórico da Ribeira de Celavisa - Beira Serra
Deste modo singelo convidamos todos os sócios, amigos, conterrâneos e conhecidos a estarem presentes nesta festividade para deste modo engrandecê-la e fazer parte dela; só com a união e colaboração de todos é que o movimento folclórico ganha força para continuar vivo! Venha conviver, divertir-se a conhecer um pouco mais das tradições deste belo país "à beira-mar plantado".
Esperamos por si...






Obrigada pela sua presença. Volte sempre!




sexta-feira, 15 de junho de 2018

Porque É Fim de Semana: Muxagata

Porque  é Fim  de Semana, vamos concluir o périplo pelas freguesias  do  concelho de  Fornos de Algodres, com a freguesia de Muxagata.



Não se conhece a razão do seu topónimo mas sabe-se que, em 1482, se chamava Mocegata evoluiu para Moxogata, depois Muxigata e  Muxiguata até chegar ao actual Muxagata. 


O orago da aldeia é São Miguel.
A Igreja Matriz  é  muito antiga, tem planta de cruz latina e campanário com dois sinos.


Há ainda na povoação,  uma pequena Capela dedicada a Santo António. 
Este templo, benzido em 1757, foi custeado pelos habitantes da povoação.



Fora da localidade, no limite da freguesia, existe uma Capela dedicada a  Nossa Senhora dos Milagres.
Este templo foi construído no local onde existia um outro que foi destruído início do século XIX.


Fontes: Blogues de Algodres
Fotos da Internet






Obrigada pela sua presença. Volte sempre!




quinta-feira, 14 de junho de 2018

Só Imagens

Castelo de São Jorge







Obrigada pela sua presença. Volte sempre!




quarta-feira, 13 de junho de 2018

Artesanato

Há retalhos de tecido que parece não servirem para nada, mas para quem gosta de artesanato, encontra-se sempre uma forma de aproveitamento. 


O patchwork é uma delas. Os mais pequenos retalinhos pode dar origem a belos trabalhos utilitários ou mesmo decorativos. 


Nesta fase, estou a arrumar o espaço onde faço os meus artesanatos e a juntar os pedacinhos de tecido que vou encontrando, para aplicar num futuro projecto que ainda não tenho bem definido na minha cabeça.


As fotografias correspondem a sardinhas  e  passarinhos, que fiz com retalhos um bocadinho maiores. O enchimento é também formado por aproveitamentos de manta acrílica e retalhinhos minúsculos.


Com  retalhos ligeiramente maiores fiz uns coelhos para as netas, que poderiam ser feitos com vários retalhos mais pequenos. 



Obrigada pela sua presença. Volte sempre!




terça-feira, 12 de junho de 2018

Ovos Verdes


Ingredientes para 4 pessoas:
10 ovos grandes
1 molhinho de salsa picada finamente
2 colheres de sopa de azeite
1 colher de chá de vinagre
Sal q.b.
Pimenta q.b.
Farinha de trigo sem fermento q.b.
Pão ralado q.b.
Óleo para fritar
Foto de Alexandre Nunes.

Preparação:
1. Numa panela com água quente, tempere com sal.
Coloque 8 ovos a cozer.
Depois da água começar a ferver, deixe cozer durante 8 minutos.
Depois dos ovos cozidos, retire-os com uma escumadeira e coloque-os numa tigela com água fria.
Deixe os ovos arrefecer e descasque-os.
2. Corte os ovos ao meio na vertical.
Descole ligeiramente a gema da clara e com a ajuda de uma colher de chá, retire-a.
Tenha muito cuidado para que a clara não parta.
Coloque as gemas numa tigela.
3. Tempere as gemas com sal e pimenta.
Junte o azeite, o vinagre e salsa picada a gosto.
Esmague tudo muito bem com um garfo até que fique uma pasta.
Com cuidado, recheie as claras com a pasta da gema e calque bem.
4. Parta para um prato, os 2 ovos que sobraram e mexa-os com um garfo.
Passe os ovos recheados por farinha e sacuda o excesso.
Passe-os por ovo batido e por fim, por pão ralado.
5. Frite os ovos de ambos os lados em óleo quente até que fiquem loirinhos.
Depois dos ovos fritos, retire-os com uma escumadeira para um prato com papel absorvente.
Pode servir esta receita como petisco ou como prato principal, acompanhado de uma salada como por exemplo, salada russa.

Fonte: SaborIntenso.com 

Obrigada pela sua presença. Volte sempre!