sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Porque É Fim de Semana: Boiça, Obrais, Mega Cimeira, Varzina e Pisão

Porque É Fim de Semana, continuamos à descoberta  das aldeias do concelho  de  Góis que  pertencem  à  freguesia  de Alvares.
Hoje vamos conhecer mais quatro localidades.
Boiça
 
Esta é uma pequena povoação situada perto do limite dos concelhos de Góis com o de Castanheira de Pera.

Obrais
Obrais é uma pequena povoação, outrora muito povoada mas que se encontra praticamente deserta de pessoas.
Da antiga capela em honra de Nossa Senhora do Livramento, restam o campanário e um Missal que tem a data de 1795. Inicialmente seria particular, mandada construir no século XVII, por um padre que ali residiu e  foi sepultado. 
(Foto de Monografia da Freguesia de Alvares)

Em 1986, a Comissão de Melhoramentos mandou-a restaurar  passando desde então a servir toda a povoação.


Mega Cimeira
Mega Cimeira fica situada
 

Inicialmente havia dois lugares, Mega de S. Domingos e Mega d’Aquém. Cada um tinha a sua capela. Mega de São Domingos  tinha como padroeiro S. Domingos e Mega d'Aquém Nossa Senhora das Preces.
Com o passar dos tempos os dois lugares foram crescendo e juntaram-se. 
A capela de S. Domingos foi extinta e o seu santo foi levado para a Capela de Mega d’Aquém. Os dois santos passariam a estar juntos e ambos seriam os padroeiros da aldeia, agora chamada Mega Cimeira.
Esta capela tem gravada na soleira da porta principal uma inscrição com a data de 1724, que se pensa ser a  da sua  construção. 


Seguindo a estrada que acompanha a ribeira da Mega, vamos passar por duas pequena povoações da freguesia de Alvares, que não conheço e das quais não encontrei qualquer indicação para partilhar. São elas:

Varzina

Esta povoação é mais uma das que foi bafejada pela natureza. De grande riqueza paisagística, aqui se pode desfrutar das águas límpidas e frescas da ribeira da Mega, que no açude do Poço das Cabras oferece condições únicas para um banho refrescante.
 

Pisão
 

Esta localidade fica situada junto à estrada que liga Mega Cimeira a Mega Fundeira e faz parte do grupo de aldeias banhadas pela ribeira da Mega. 


Foto: João Reis Antão






Obrigada pela sua presença. Volte sempre.











quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Na Terra Negra da Vida-Miguel Torga


Na terra negra da vida,
Pousio do desespero,
É que o Poeta semeia
Poemas de confiança.
O Poeta é uma criança
Que devaneia.
Mas todo o semeador
Semeia contra o presente.
Semeia como vidente
A seara do futuro,
Sem saber se o chão é duro
E lhe recebe a semente.

 Miguel Torga






Obrigada pela sua presença. Volte sempre.






quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Cabril

Cabril é uma localidade do concelho da Pampilhosa da Serra, da qual dista 13 Km.
O topónimo Cabril parece estar ligado à existência de pastores, num local em que as condições naturais com mato e erva abundantes, são propícias à criação de gado (cabras).
Contam os habitantes, que o início da aldeia terá sido em dois locais junto aos barrocos da Carvalha e Samelo, daí se expandindo até aos dias de hoje.
Foi elevada a freguesia nos finais do século XVII, dela fazendo parte, além da sede, as povoações de Armadouro, Praçais, Vale Grande, Foz do Ribeiro, Porto de Égua, Sobralinho, Malhau, Sanguessuga, Lomba da Senhora, Vale Derradeiro, Vale Musqueiro, Silva e Algar, além de diversas "quintas".


A paróquia tem como orago  São Domingos.
A igreja matriz foi inaugurada em 1959,  num local afastado daquele onde terá existido uma pequena capela, da qual restou apenas a torre sineira, que se encontra, actualmente, agregada ao edifício do Centro Social da Liga de Melhoramentos.

Do exterior da igreja, destaca-se a rosácea que encima a porta principal. 
No  interior, existem  as  imagens do Sagrado Coração de Jesus, Nossa Senhora de Fátima com os pastorinhos e  Cristo Crucificado.



Na povoação existem ainda três capelas: 
- Capela de Nossa Senhora das Dores

Este templo tem uma inscrição com data de 1858, que se pensa ser  a  da  sua construção. 
- Capela de  São Sebastião

Tem uma  arquitectura semelhante e pensa - se ter sido construída na mesma época. 
- Capela de Santa Apolónia

Esta capela de que se desconhece a data de construção, sabe-se ser bastante antiga, talvez posterior à reconquista cristã. 


Fotos - Net


Obrigada pela sua presença. Volte sempre.




terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Imagens Que Falam Por Si: Aveiro

Aveiro

Obrigada pela sua presença. Volte sempre.


segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Seixo da Beira

Seixo da Beira é uma vila do concelho de Oliveira do Hospital.Como acontece com  muitas outras povoações não se conhece a data da fundação desta localidade, mas, os monumentos funerários existentes nos arredores, dão-nos a certeza de vida no final do Neolítico. 

Em 1514, a  povoação era conhecida por Seixo do Ervedal, como consta na carta de foral concedida por D. Manuel I, só sendo alterado em 1928. 

Foi vila e sede de concelho até 1836, data em que o concelho foi  extinto, sendo integrado no  concelho de Ervedal até 1855, ano em que este foi também extinto. A partir de então a freguesia  transitou  para o concelho  de Oliveira do Hospital onde se manteve até aos dias de hoje.  


A freguesia de Seixo da Beira, para além da sede de freguesia, é formada por Aldeia Formosa, Felgueira, Isolados, Pedras Ruivas, Póvoa da Barbeira, Seixas,  Sobreda e Vale Torto.
O padroeiro de Seixo da Beira é São Pedro e  a   igreja paroquial é  de granito, datado  do século XVI.
No interior as imagens são dos séculos XV, XVI e XVIII. 

    Do Património desta vila, para além da Igreja Matriz, destaco: 

    - Pelourinho

    O pelourinho desta povoação é de construção  posterior ao foral manuelino.


    - Capela de S. Sebastião
    Capela pobre, modernizada, onde se destaca uma imagem gótica de S. Sebastião, em calcário, dos sécs.XV-XVI.

    - Capela de São João

    Esta Capela tem no seu interior imagens de dois santos: o padroeiro, João Batista e São Sebastião.

    - Capela de Nossa Senhora da Estrela

    Este templo foi construída em 1121, fora da povoação. A capela-mor é do séc.XIV. Tem uma escultura da Virgem com o Menino, de pedra,  gótica, dos séculos XV-XVI e o retábulo dourado com colunas torcidas, do princípio do séc. XVIII.
     
    - Monumentos Funerários
    Nos arredores da povoação existem duas antas, das cinco existentes no concelho de Oliveira do Hospital.
    A Anta de Curral dos Mouros, também conhecida por Anta da Sobreda,   é um monumento funerário megalítico com mais de 6 000 anos. Está  bastante destruída, faltando-lhe a cobertura   que protegia o interior da estrutura. 
    A Anta de Arcaínha ou Dólmen do Seixo da Beira é de todas as antas do concelho  a que se encontra em melhor estado de conservação. Pertence ao final do  período Neolítico. Em 2007, foi alvo de obras e foram encontradas várias peças de cerâmica, correspondentes à época de transição   da Idade do Cobre para a Idade do Bronze.

    Fotos da Net 


    Obrigada pela sua presença. Volte sempre.