segunda-feira, 2 de março de 2009

João Brandão II



Só o amor é germe e princípio da única revolução que não trai o homem.
(João Paulo II)



§§§§§------§§§§§


Hoje vou concluir com a transcrição dum outro excerto do livro de João Brandão, onde mais uma vez se faz alusão ao meu avô.


“… Tinha acontecido que os homens , que formavam as duas anunciadas esperas, depois do tiroteio da Catraia da Fonte de Espinho, voltaram a unir-se para continuarem a montaria ao Ferreiro.
E assim foram desorientados até chegarem à aldeia do Sobral Gordo, sem saberem o rumo que ele tinha tomado.
Cansados e já sem esperança de o voltarem a avistar, porque ele era destro nesta espécie de estratégia, e conhecia melhor do que os seus adversários os ásperos e difíceis caminhos das montanhas, veio o acaso em auxílio deles.
O mesmo pequeno, José Filipe
(1), que havia estado com o Ferreiro, encontrou-se agora com João Brandão, e informou-o do estado de desespero em que ele ia, pelo que este concluiu que o dito Ferreiro, tendo necessidade de tratar do braço ferido devia ter seguido ou para o Porto Castanheiro, ou para a Benfeita, porque só nestas duas povoações é que poderia encontrar barbeiros (2) que lhe prestassem este auxílio.
Por isso, ordenou logo à sua gente que voltasse a fraccionar-se em dois grupos, devendo partir um, composto de cinco homens armados, para o porto castanheiro, e devendo seguir o outro, para a Benfeita..."


Foi nesta última povoação que o Ferreiro da Várzea foi preso e morto por um dos homens que acompanhava João Brandão.
Miguel Nunes Jorge foi salvo de morte certa, por uma senhora de Pomares em casa de quem se juntaram as milícias de João Brandão, após o homicídio, que não consentiu que em sua casa se matasse um homem.

- Miguel Jorge Nunes (o irmão do Ferreiro da Várzea) -



(1) José Filipe era o meu avô.
(2) Barbeiros eram homens entendidos em sabedoria popular, que para além de cortarem os cabelos, arrancavam dentes e tratavam certas doenças, substituindo em muitos casos o médico.


Obrigada pela visita. Volte sempre.

5 comentários:

Rotiv disse...

Apenas dizer, que O Açor, também passa por Manteigas :)
Esta o link na nossa Rubrica Reciprocidades ;)
Boa semana ;)
http://bloteigas.blogspot.com/

Lourdes disse...

Obrigada Rotiv.
Também eu sou visitante assídua do blog de Manteigas.
Boa semana também.

pedro disse...

Eu sou bisneto do miguel nunes jorge e não sei muito da historia do meu bisavo... onde posso encontrar?

Obrigado

Pedro Jorge
pserronha@hotmail.com

Lourdes disse...

Pedro
Tudo o que sei, encontrei num livro que era do meu pai, que não sei se está à venda actualmente. Chama-se"João Brandão" e é da autoria de J. M. Dias Ferrão.
Entretanto, irei reler de novo e, tudo o que constar da biografia de seu avô, eu vou digitalizar e enviá-lo-ei através do seu e mail.

Nuno Mata disse...

Cara Lourdes, tentei enviar um email, mas não tenho instalado o Outlook.
Precisava muito de lhe falar acerca de João Brandão e dos seus escritos.
Se não a incomodar, contacte-me pelo email euskadi70@gmail.com.
Grato
Nuno Mata

PS - Para "pedro" - O livro de JM Dias Ferrão encontra-se em alguns alfarrabistas. Mesmo na net fazendo uma pesquisa, encontra-se. Porém, o custo é elevado (1ªs edições a 70€, outras a 30€)