domingo, 11 de maio de 2008

Que Futuro?


Não existe o esquecimento total: as pegadas impressas na alma são indestrutíveis.
(Thomas De Quincey)


§§§§§------§§§§§





Esta é uma das casas que há tempos ameaçava ruína. Foi adquirida e encontrava-se em obras de restauro. Uma acção de louvar de quem em boa hora pensou em fazê-lo. Ainda mais, porque não é natural da terra e achou que ali poderia passar algum tempo, descansando do bulício da cidade.
Pois é, mas a Câmara embargou a obra. As leis são para se cumprir, mesmo nos locais mais recônditos da serra…
Vou repetir agora a fotografia daquilo que resta duma outra casa de Sobral Magro. Já não tem telhado e, situada na rua principal , dá este aspecto de desolação à aldeia.
Para estes casos não existe lei para se cumprir?
Será que a autarquia, nestes casos, não pode agir?



Já numa outra altura escrevi sobre este tema, mas de cada vez que vou à terra, venho de lá revoltada com algumas das leis que nos regem.
Assim não há incentivo para fixar as pessoas nas aldeias que vão ficando cada vez mais desertas. Que futuro para elas?...

2 comentários:

António Manuel Silva disse...

Partilho os teus sentimentos. Obviamente que as Leis são para cumprir. Ponto final.
Numa freguesia em que urge atrair e fixar pessoas, os autarcas nem sempre têm a sensibilidade para verem a dimensão do problema. Se pensarmos que o Sobral Magro em 1970 tinha 130 pessoas e hoje não chega às 50, não é difícil perceber que tem que se inverter o rumo deste tipo de política. Há que incentivar e facilitar a recuperação de imóveis nas nossas aldeias. Com regras, claro, mas não dificultar e criar obstáculos. Por outro lado, basta olhar para a sede da freguesia para vermos que existem, em matéria de embargos, vários critérios. Este tipo de coisas mal esclarecidas e incompreensíveis, deixam sempre dúvidas. Pessoalmente sou a favor de uma política objectiva e esclarecedora sobre esta e outras matérias, e estou disponível para ser uma voz a caminhar nesse sentido, mas para isso também preciso de ajuda...
Por um futuro melhor para a Freguesia de Pomares!

Anónimo disse...

CONCORDO COM TUDO O QUE FOI DITO AS NOSSAS TERRAS PRECISÃO DE SANGUE PARA TEREM VIDA O SANGUE SÃO AS PESSOAS BEM SEI QUE ~SE NÃO DEVEM FAZER OBRAS DE QUALQUER MANEIRA MAS Á QUE FACILITAR AS COISAS E NÃO COMPLICALAS PARA QUE A NOSSA LINDA SERRA DO AÇOR TENHA VIDA E MAIS BELEZA SEJA COM OS NATURAIS DAS NOSSAS TERRAS COMO COM AQUELES QUE NÃO SENDO NASCIDOS NESTAS LINDAS ALDEIAS GOSTAM DE NOS VISITAR E ATÉ INVESTIR PARA CÁ VIVER. JÁ AGORA VISITEM O BLOG VOZ DO GOULINHO.