segunda-feira, 12 de maio de 2008

A Capela 1



Quando você reza, a força divina entra em você e você se torna mais humano.
(Pe. Bruno Brugnolaro)


§§§§§------§§§§§



- S. Domingos -


Quem chega ao Sobral Magro é desde logo abençoado por São Domingos, padroeiro da aldeia.
Mesmo em frente ao largo da povoação ergue-se a Capela, edifício construído há muitos anos atrás, não se sabendo ao certo quando.
Inicialmente, seria uma pequena capela, como todas as outras da região.
Em 1952, foi construída uma torre e sofreu obras de alargamento que a tornou a capela de maiores dimensões da freguesia de Pomares. Foi colocado um relógio , oferecido pelo nosso conterrâneo Manuel Francisco Coisinha, o inventor dos relógios mecânicos de torre.

- Manuel Francisco Coisinha junto à Capela, com o relógio que ofereceu -

Tinha um arco em granito a separar a capela mor do resto do edifício e três altares: o altar-mor com o seu padroeiro S. Domingos e fora da Capela-mor mais dois altares, um com a imagem do Sagrado Coração de Jesus e o outro com a do Sagrado Coração de Maria.
Possuía também as imagens de Nossa Senhora da Guia, Nossa Senhora da Conceição e Santo António.
Mais tarde foi adquirida uma imagem de Nossa Senhora de Fátima, com o saldo duma festa que se realizou à rebelia do padre de então - o padre João.
Tinha também um púlpito, o coro e um confessionário. Uma pequena sacristia servia de vestiário ao padre.
Nesta Capela havia Missa todos os Domingos e cada crente levava consigo uma pequena almofada para proteger os joelhos, pois grande parte era passada de joelhos.
A Capela-Mor e o coro eram os locais destinados aos homens. As mulheres de lenço ou véu na cabeça colocavam-se na nave da capela.
A Missa era celebrada em Latim e o padre era ajudado por um sacristão, que normalmente era um rapaz da aldeia. De vez em quando aparecia também o sacristão de Pomares, o Sr. José Basílio.
 


Sem comentários: