terça-feira, 27 de maio de 2008

PELOS CAMINHOS DE PORTUGAL


As viagens dão uma grande abertura à mente: saímos do círculo de preconceitos do próprio país e não nos sentimos dispostos a assumir aqueles dos estrangeiros.
(Montesquieu)



§§§§§------§§§§§

No Sábado, após a visita à Catedral de Santiago de Compostela iniciámos a viagem de regresso a Portugal. O destino era Castro Laboreiro.


- Castro Laboreiro -


A chuva continuava insistente e, ao mesmo tempo, começava a fazer-se sentir um frio pouco habitual nesta época. Mesmo assim, não foi o suficiente para nos demover de conhecer um pouco mais do nosso país.
Chegados a Castro Laboreiro, demos uma volta pelos arredores da vila e aventurámo-nos pela serra .
A região é de uma beleza extraordinária e apresenta vários tipos de paisagens, desde a vegetação rasteira no planalto, a grande altitude, até aos carvalhais ancestrais que se desenvolveram nos vales profundos, entre escarpas graníticas.
Foi-nos dado presenciar o modo de vida das gentes daquela zona fronteiriça.
Os animais pastam livremente pela serra. Vacas, cabras, cavalos ou porcos cruzam as estradas sem se assustarem com os veículos passam.
Alguns animais pastam em terrenos de Espanha percorrendo cuidadosamente os trilhos pedregosos procurando alimento, mas ao entardecer, regressam sozinhos a Portugal, indo directos às cortes, donde sairão na madrugada seguinte.
Outro animal desta região é o Cão de Castro Laboreiro. Há muito que ele é usado para guardar e defender os animais domésticos e, para de noite, guardar também a casa dos seus donos dos lobos, os seus principais inimigos.
Esta raça de cães é conhecida pela sua dedicação e companhia e aproximavam-se frequentemente de nós, esperando uma festa.

Sem comentários: