sexta-feira, 5 de março de 2010

Pelos Caminhos de Portugal: Castelo de Palmela

A curiosidade do espírito na busca de princípios certos é o primeiro passo para a conquista da sabedoria.
(Sócrates)



Estar em Palmela e não subir até ao castelo é quase como ir a Roma e não ver o Papa. Apesar de as nuvens ameaçarem desfazer-se em chuva sobre a localidade, não resisti e lá fui.
O castelo encontra-se rodeado por uma mata atravessada por trilhos que  me conduziram a uma época remota.
Neste ambiente medieval, deixei-me envolver pela  neblina e  quase consigui vivenciar um passado muito distante. Imaginei  belas damas, com seu longos cabelos caindo em cachos de caracóis, sobre o decote de um rico e vistoso vestido de tecido brocado,   passeando lado a lado com garbosos fidalgos, chegados de uma qualquer cruzada e ouvindo  encantadas as façanhas  prodigiosas que eles narravam, das suas lutas contra os mouros.



À minha frente a porta principal do castelo convidou-me a entrar. Entrei, subi a rampa  e lá estavam o Convento (hoje estalagem) e a igreja  de Santiago.



À medida que percorria o castelo, apreciava  a natureza deslumbrante que me rodeava. Devido à sua situação privilegiada, o castelo de Palmela é um autêntico miradouro queoferecendo a quem o visita, uma paisagem de cortar a respiração.
Olhando para um lado, via uma das encostas da serra da Arrábida e as quintas situadas nos vales  no seu sopé.




À minha frente o estuário do rio Sado, a cidade de Setúbal e uma extensa área da planície alentejana , até onde  o céu nublado me permitia alcançar. 


Do outro lado , lá estavam dois moinhos de vento  que se erguem-se  sobranceiros  à lezíria ribatejana.



Para trás, conseguia avistar uma extensa região que, se não fossem as nuvens, me permitiriam ver o Tejo, Lisboa e  a serra de Sintra.
Olhando  para baixo pude ter  uma visão mais abrangente de Palmela,  dominada pela a sua igreja matriz.





E, com o céu a escurecer cada vez mais, iniciei o meu regresso, não sem antes tirar mais algumas fotografias deste castelo, que se encontra em bom estado de conservação, tanto devido ao funcionamento da Pousada como à dinâmica que a Câmara Municipal ali tem a desenvolvido tanto  no campo cultural como turístico.
Um dia vou voltar com  melhores condições climatéricas, para poder fazer fotografias que melhor traduzam a beleza do local. 


Obrigada pela sua visita. Volte sempre.

6 comentários:

Maria Teresa disse...

Lourdes:
Que viagem fantástica acabei de fazer seguindo suas palavras e a fotos tão expressivas. Também me lembrei de Bocage, Elmano Sadino, quando você se referiu ao rio Sado.
Bjos

Flora Maria disse...

Deve ser emocionante visitar um lugar com tanta História !
Aqui na minha terra não temos nada assim, pois minha cidade existe há pouco mais de 100 anos !

Beijo

Flora Maria disse...

Deve ser emocionante visitar um lugar com tanta História !

Aqui na minha terra não temos nada assim, pois minha cidade existe há pouco mais de 100 anos !

Beijo

Marli disse...

Olá fofinha!
Obrigado pelo carinho,
Você é uma fofa.
Adorei que você levou o selinho.
Bjussss e bom fim de semna.
Marli

poetaeusou . . . disse...

*
recordei
a região mais bela do País,
(além da minha Nazaré)
especialmente a praia da
minha Juventude, Figueirinha .
,
conchinhas de antanho,
ficam,
,
*

Maria Teresa disse...

Lourdes:
Você ganhou o PRÊMIO BLOG VIP. Basta ir até o meu blog, copiar o selo e eleger os 10 melhores blogs, de acordo com sua opinião. Essas são as regras. Depois, cite-os em seu espaço, não se esquecendo de fazer o convite para que os seus leitores visitem o blog que a elegeu. Parabéns! Beijos,
MTeresa.