quinta-feira, 18 de março de 2010

A Aldeia do Meu Pai III

É triste falhar na vida, porém mais triste ainda é não tentar vencer.
(Franklin Roosevelt)

Passado:

No Sobral Gordo um grupo de homens, inconformados com a isolação em que se encontravam, iniciou a construção de  um caminho mais largo por onde pudesse passar um carro de bois e possibilitasse o transporte  mais fácil de grandes "carregos". O mesmo grupo de homens continuou a liderar as obras necessárias a melhorar a vida  na povoação e, a água era uma das necessidades mais prementes. Não tiveram muito êxito neste assunto, mas construiram tanques que vieram facilitar o trabalho das mulheres.
Entretanto,  na primeira metade do século passado, gerou-se em Lisboa um movimento associativo  dos naturais das aldeias beirãs, tão abandonadas pelo Poder Central, cujo objectivo principal era  melhorar as condições de vida nas suas povoações. Nasceram as Ligas, Uniões, Comissões e Associações de Melhoramentos e, com a sua dinâmica, contribuição financeira , organização de festas e movimentação nos Ministérios em Lisboa, originaram uma nova era.
Na Cova da Piedade, um grupo de sobralgordenses fundou  uma comissão, que deu continuidade às obras  anteriormente iniciadas na aldeia.



- A Fonte -

A água continuava a ser a prioridade e finalmente foi construído um chafariz com um bebedouro para animais, no centro da povoação e um lavadouro público coberto junto ao caminho para o Sobral Magro.


- O Lavadouro -

As crianças também não foram esquecidas e, a escola foi outra meta que passou a fazer parte dos objectivos dos sobralgordenses. Assim, em 1953, iniciaram-se as aulas no posto escolar de Sobral Gordo, que começou a funcionar numa casa adquirida para o efeito até  ao ano de 1958, data em que foi inaugurado o edifício escolar.


- A Escola -

Ao mesmo tempo, os esforços da Comissão de Melhoramentos dirigiram-se também para outros bens que faziam falta na povoação. Foi dessas movimentações que surgiram a biblioteca escolar e  o posto telefónico público, que vieram atenuar o afastamento da população do resto do mundo. Mas, para que esse afastamento diminuísse substancialmente, fazia falta uma estrada por onde transitassem veículos automóveis, o que se veio a verificar alguns anos mais tarde, após muitos esforços desenvolvidos pelos dirigentes da Comissão de Melhoramentos junto das entidades competentes.
Daí para a frente,  a povoação não deixou de ser beneficiada, nomeadamente no arranjo e abertura de caminhos, alargamento do largo da Courela, construção da Sede Social, arranjo da Capela , mas   a luta maior dirigiu-se para a beneficiação da estrada para Pomares, concluída em 1975, para a electrificação da aldeia que se veio a consumar em 1979, para o abastecimento de água a toda a povoação que aconteceu em 1986 e para o saneamento básico concluído em 1988.
A qualidade de vida dos habitantes do Sobral Gordo melhorou consideravelmente, mas a população estava cada vez mais envelhecida e as doenças atormentavam. Mais uma vez os dirigentes da Comissão  se movimentaram, na ânsia de conseguir o funcionameto dum posto médico na povoação, o que se veio a verificar a partir de 1988.
Com  as infraestruturas básicas e, para além da manutenção dos melhoramentos realizados, a atenção dos sobralgordenses voltou-se para o alindamento da aldeia e,  de novo, para as acessibilidades.
Foi alargado o coreto, construiu-se um edifício com bar, esplanada, sanitários e balneários públicos. Rompeu-se uma estrada para a Mourísia e alcatroaram-se todas as estradas.
Obra após obra, o Sobral Gordo ficou dotado com as condições de vida das zonas urbanas, com a vantagem de se poder usufruir duma bela paisagem e duma vida pura e saudável.

- O Sobral Gordo dos nossos dias -
(Foto: G.E. Raízes do Sobral Gordo)




Obrigada pela sua visita. Volte sempre.

3 comentários:

Fernanda disse...

Querida amiga Lourdes,

E assim disseste tudo sobre a terra do teu pai, desde os tempos primórdios até aos actuais.

Gostei muito.
Parabéns.

Beijinhos

Sandra disse...

VIM RETRIBUIR A SUA VISITA.
COMO É BOM TER A SUA COMPANHIA EM MEUS BLOGS.
ESTOU MUITO FELIZ.
FIQUEI MUITO FELIZ COM A SUA VISITA, NA INTERAÇÃO DE AMIGOS, CONFERINDO O TEXTO DA COLETIVA DE MINHA ALDEIA.. E ACABEI FAZENDO UM COMENTARIO EM CIMA DE TODOS OS DEMAIS COMENTÁRIO, QUE LÁ ESTÃO REGISTRADOS.
PASSE LÁ CONFIRA.
DEPOIS PEGUE O SELINHO EM COMEMORAÇÃO.
CARINHOSAMENTE
SANDRA
http://sandrarandrade7.blogspot.com/2010/03/emocao-de-participar-das-coletivas.html
VOU TE ESPERAR.

Sandra disse...

Um bleo e lindo texto.
a familia é muito importante para nós.
Nossos pais, nosso pai é o grande cabeça de tudo..Claro junto com a nossa mãe.
Carinhosamente,
Sandra