segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Mãe

Há dia em que as recordações estão mais presentes e  a saudade aperta. Hoje foi um desses dias. A imagem duma pessoa muito querida não me saiu da cabeça. Alguém que muita falta me fez e faz ainda: a minha mãe. Perdi-a cedo. Primeiro, embora ainda cá andasse na Terra, já não conseguia entender-me quando eu necessitava de desabafar. Mais tarde, Deus levou-a para junto de Si e  sinto agora que  ela  me entende  quando, em momentos difíceis, desabafo com ela.
Hoje é  o   dia do seu aniversário e, onde quer que ela esteja, estará rodeada de muitos familiares que a acarinharão enquanto vão olhando pela família que têm na Terra.

 
Em sua homenagem, trouxe um poema do  Luís  que ele publicou no seu  blog  lidacoelho e   que achei adequado para o dia de hoje.

Recordações



O vento frio corta o rosto sereno
Perdido em nuvens de pensamentos
Que entram carregadas de perguntas
E devassam o canto do silêncio ameno.
Acordam na penumbra do esquecimento
As respostas que não tem entendimento.
A fúria das brisas suaves que nos marcam
Nos encantam e seduzem as vontades
Com desejos de carícias mansas e afagos
Que em tempo as mãos da mãe nos davam
São sonhos que conservo e ainda os trago
Presos nestas datas que os dias marcam.
São flores adormecidas num canto a sonhar,
Ventos frios vestindo roupas mais quentes
Manhãs lentas acordando saudades ausentes
Viagens longas que acabam de chegar.
Momentos finos de recordações que dobram
As curvas dos sonhos que ainda sangram.



Obrigada pela sua visita. Volte sempre.


7 comentários:

Flora Maria disse...

Bela homenagem saudosa à sua mãe, Lourdes !

Eu também sinto assim: em certos dias uma melancolia, uma saudade de pessoas e momentos, chega e toma conta da minha mente, suavemente, com uma dor suave e bonita...

Beijo

Luis disse...

Minha Querida Amiga Maria de Lourdes,
Adorei seu post pelo Amor e Carinho que mostrou pela sua Mãe! Até o poema escolhido é prova do que senti!
Sinto o mesmo pela minha pelo que fiquei muito sensibilizado com as suas palavras.
Um grande e muito amigo beijinho.

Maria Filomena disse...

Lourdes,
um grande abraço neste dia e em todos.....
Ainda tenho a minha mãe, mas está tão longe....e tenho tanto medo de vir a perder......
A poesia é linda e apropriada...
Muito obrigada por a compartilhar....
Um grande beijos desta amiga

Maria Filomena

Patricia disse...

Olá Lourdes!

Mãe faz muita falta sim, é um amor eterno e mesmo na ausência, está sempre presente.

Triste saber, que muitas mulheres não vivem este amor, o de ser Mãe e o de ser filha :(

Beijinhos.

João Celorico disse...

iccueÉ isso, Lourdes!

Sem mãe, pensando bem,
é certo, ficamos mais sós.
É que perdemos também
um bom pedaço de nós!

Mãe nunca se esquece,
salvo melhor opinião.
Mãe, não desaparece!
Fica-nos no coração!

Beijo,
João Celorico

Idanhense sonhadora disse...

Lourdes ,nem sabe como a entendo ...Não há dia nenhum que não sinta a falta da minha ...Sei que ela está sempre comigo ,mas às vezes precisava tanto dum seu carinho...
Beijo
Quina

Maria Teresa disse...

Lourdes:
Acredito que entre mãe e filho há sempre um fio transparente unindo vontades e afetos. Formam-se laços perenes, com elos rijos, compactos, indestrutíveis. Mesmo que um e outro não mais se vejam, se toquem; os abraços são eternos.
Beijos