terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Acordo Ortográfico

Os últimos acontecimentos no Egipto/Egito despertaram em mim a necessidade de me debruçar um pouco sobre o  acordo ortográfico da língua portuguesa.
Senti-me muito confusa pois os apresentadores da televisão pronunciavam umas vezes Egipto outras Egito, mas já a palavra egípcio pronunciavam sempre da mesma maneira - egípcio.

O Acordo Ortográfico entrou  em vigor em Janeiro de 2009 e estamos  num período   de transição, durante o qual ainda podemos usar a antiga grafia. Confusa como tenho andado, vali-me desta grande enciclopédia que é a Internet, e passei a tarde tentando entender o referido Acordo.
Confesso: Não se fez luz...Fiquei na mesma ou mais baralhada.

Spiritual,Candles

A grafia brasileira é capaz de ser mais simples mas vai custar a habituar-me a ela.  Quem inicia agora a sua escolaridade não terá grande dificuldade pois vai aprender tudo pela primeira vez.  Mas para  quem, como eu, passou  perto de sessenta anos a interiorizar uma certa forma de escrever e  quarenta a arranjar estratégias para os  alunos não darem erros, não é  dum momento para o outro que vai alterar tudo. É natural que, mesmo   não escrevendo com erros ortográficos,  o passe a fazer.


Pessoalmente, não concordo nem discordo do Acordo.  Quem teve esta ideia lá sabe o porquê, mas também  não me vou   preocupar muito com o assunto e , calmamente, vou tentar  adaptar-me. Com erros ou sem erros cá estarei enquanto eu quiser e puder. 


Obrigada pela sua visita. Volte sempre.

3 comentários:

Maria Teresa disse...

Lourdes:
Muitos defendem o Acordo com unhas e dentes, mas tenho visto inúmeros que o abominam. Unificar a Língua em países onde se fala o Português, será isso de fato necessário para nossa melhor convivência? É certo que a Língua é viva e vai alterando-se com os diversos falares, no entanto também para mim é difícil achar uma razão bem coerente para tanta baralhada.
Beijos

Anónimo disse...

Há longos anos lidei com pessoas que na altura tinham o sétimo ano dos liceus,e o meu espanto dizerem que não se aperfeiçoavam na escrita!.Para eles interessava era escrever de maneira que se lê-se!...Na minha primária os professore eram deveras exigentes na escrita,e cada assento que falta-se,quatro dava contagem para um erro na linguagem de Português!..Cada erro uma reguada na mão!..ÂNGELO:

Flora Maria disse...

Pois eu, amiga, que apesar de mansa, sempre tive um temperamento rebelde, estou ficando cada dia mais revoltosa com esse mundo dos homens!!!
A cada mudança desse tipo que é feita, levamos um bom tempo para as devidas adaptações, sem falar no desgaste natural.
E lembro do meu pai que reclamava dizendo que estudou em Portugal com uma forma de escrita, encontrou no Brasil uma outra forma e mais tarde teve que aceitar uma 3ª modificação !

Discordo totalmente dessa "globalização" da língua, pois "cada roca tem seu fuso, cada terra tem seu uso", não é mesmo ?

E fico filosofando: quem está ganhando com essa "baralhada" toda, como dizem vocês ?

Beijo