sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Eu e a Serra do Açor V


Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós./ Deixam um pouco de si,levam um pouco de nós.
( St.Exupery )
§§§§§------§§§§§

Continuando a percorrer as minhas memórias no Açor, recordo os primeiros dias de escola e a minha primeira professora. Como já expliquei, o mês de Outubro era passado na escola de Sobral Magro e o resto do ano lectivo na escola da minha área de residência em Lisboa. Duas escolas completamente diferentes em meios diferentes também e, mais uma vez, a pequena escola da aldeia saiu a ganhar. No seu recreio ao ar livre, podia brincar à vontade enquanto que na da cidade, situada num andar dum prédio, brincava apenas num salão fechado.

- Eu e a minha primeira professora -

Mais velhinha, lembro-me da época das festas em que eu acompanhava os jovens do Sobral Magro às festas das terras vizinhas. Era com grande entusiasmo que nos juntávamos, para rumarmos à povoação em festa. Alguns rapazes levavam os seus instrumentos musicais, para mostrarem as suas habilidades tocando e animando o baile. E que agradáveis eram as desgarradas em que os cantadores das várias terras se desafiavam, num fado muitas vezes mandado, que teimava em não acabar.
Era divertida e saudável esta vivência. Muitos casamentos se arranjaram entre jovens de aldeias diferentes devido a essa interacção festiva.

E agora, enquanto bebo o meu cafezinho, lembro-me do cheiro dum outro café. O café da minha avó, feito na lareira, num púcaro de barro preto.
E , enquanto escrevo, uma lágrima teimosa rola-me pela cara, as imagens vão-me passando pela memória e, sinto uma saudade imensa daquele gostinho único, que jamais voltarei a sentir.
- Eu e a minha falecida avó materna -

2 comentários:

Dulce disse...

Tão queridas essas lembranças, nâo Lourdes? Adorei as fotos. A primeira professora, a avó saudosa e muito querida... Lindas lembranças.

Lourdes disse...

Lembranças, sim. São pessoas que nos marcam muito.
Beijo