quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Eu e a Serra do Açor III


Só existe uma coisa melhor do que fazer novos amigos: conservar os velhos.
(Elmer G. Letterman)



§§§§§------§§§§§




Quando pensei em escrever um pouco sobre mim e a ligação que sinto com a serra, era inevitável escrever sobre a “Hortensita“.
A “Hortensita” é uma das minhas primas que foi criada no Sobral Magro.
Sendo eu filha única, foi com ela que estabeleci a cumplicidade própria dos irmãos.
Era com ela que brincava com as bonecas que fazíamos com pequenos trapos; era com ela que ia muitas vezes para a fazenda, tratar das cabras e das ovelhas, regar ou fazer alguns dos trabalhos agrícolas que ela tinha à sua responsabilidade; era com ela que engendrava as traquinices de criança e as partidas de Carnaval; era ela que me acompanhava às festas das aldeias das redondezas. Sim, porque nós ainda somos do tempo em que uma menina não devia ir sozinha ao baile. Como o meu pai ia comigo, ela ia também.
Era com ela que trocava confidências. E que bem que me lembro das primeiras noites de férias na aldeia… Todos os anos era o mesmo. Noites mal dormidas, acordadas até altas horas da madrugada.
Foi a minha companhia no meu primeiro ano como professora no Sobral Magro, nas reuniões e nas viagens que fazia.

Assim fomos crescendo, até que cada uma casou e ficámos a morar afastadas.
Embora os maridos estejam ligados a terras da mesma freguesia, cada uma passou a frequentar aldeias diferentes. As férias muitas vezes não coincidiam e o afastamento aconteceu inevitavelmente.
Actualmente já comunicamos com mais regularidade. Abençoada internet!
Graças a ela podemos conversar sempre que nos sentamos à frente do computador. Praticamente leigas nestas “modernices“, fazemos alguns disparates que originam sempre momentos de bom humor.
Que assim seja por muito tempo, prima!

4 comentários:

Anónimo disse...

Eu nem acredito!!!
Hoje foi o meu dia como me disse a Ana
É tudo verdade o que escreveste embora a tua memória seja melhor que a minha
Obrigada
Beijo Hortensita

Rouxinol de Pomares disse...

Eu lembro-me! Mas que bem que estão! Palavras para quê! 1 Beijo para cada uma aqui do Rouxinol de Pomares, perdão, António Manuel para os amigos.

Lourdes disse...

Olá Hortense! Achas que escrevendo de mim e das minhas ligações à nossa região, podia deixar de falar da minha companheira dos tempos que passei no Sobral Magro? Era inevitável...
Obrigada por tudo! Beijão

Lourdes disse...

Olá António!
Claro que te lembras. Nós também íamos às festas de Pomares. Além disso, para sairmos do Sobral em qualquer direcção, tínhamos que passar por Pomares. Obrigada pela vista.
Beijo