quinta-feira, 22 de março de 2018

Linha de Cascais: Carcavelos e Parede

Continuando a percorrer a linha de Cascais, passamos agora em Carcavelos uma freguesia portuguesa, extinta em 2013 pela reforma administrativa nacional que a agregou à  da Parede, para formar a União das Freguesias de Carcavelos e Parede.


Carcavelos foi vila até 1760 e fez parte do concelho de Oeiras.
Tem por orago Nossa Senhora dos Remédios.
Do seu património destaco:
- Igreja de Nossa Senhora dos Remédios:


Não se conhece a data da construção deste templo, mas sabe-se que já existia em 1755.
Na altura  da implantação da república, a igreja foi encerrada e, em determinada altura, transformada numa escola.
O exterior apresenta linhas arquitectónicas singelas. O interior tem nave única, decorada com painéis de azulejos do Século XVI. Durante o terramoto de 1755, este templo ficou bastante danificado sendo mais tarde recuperado
Ainda hoje a custódia e cálice de prata que d esta igreja, pode ser apreciada no Museu Nacional de Arte Antiga.


- Antigo Forte de São Domingos, transformado no Hospital Ortopédico Dr. José de Almeida.

- Praia de Carcavelos conhecida para a prática do Bodyboard e do Surf, reunindo excelentes qualidades.
É um dos locais mais frequentados de toda a Linha de Cascais, sobretudo pela praia que é uma das maiores da zona.



Ligada a Carcavelos vamos chegar à vila da Parede, cujo topónimo está associado à abundância de pedra ou aos muros de pedra solta, que abundavam no local onde se desenvolveu a povoação.
Da origem desta localidade pouco se sabe, pois não existem documentos que comprovem  a sua existência. 
Até 1953, fez parte da freguesia de São Domingos de Rana, passando depois a freguesia, integrando parte dos lugares de Buzano, Junqueiro, Madorna, Murtal, Penedo e Rebelva.


A Parede situa-se numa  região em que o clima  é propício à cura de algumas doenças como era o caso da tuberculose que, no final do século XIX,  grassava na Europa.
Em Portugal, o Dr. Sousa Martins, encontrou em D. Claudina Chamiço , apoio para a construção dum Sanatório, aproveitando as características climáticas da Parede.
Assim, em 31 de Julho de 1904, D. Claudina Chamiço, inaugurou o Sanatório de Sant'Anna, doando-o à Misericórdia. Em 1910, as Irmãs Dominicanas de Santa Catarina de Sena assumiram a assistência aos doentes que se mantém até aos nossos dias.


Com a diminuição dados casos de tuberculose e aproveitando ainda o clima da região, rico em iodo, novas valências foram implementadas no Sanatório, desta vez direccionadas para a Ortopedia, Anestesiologia e Medicina Física de Reabilitação, passando à condição de Hospital, o Hospital de Sant' Anna.


O orago da vila é Nossa Senhora do Rosário de Fátima.

A grande atracção da Parede é a praias que beneficia  do seu clima e localização abrigada dos ventos e que traz à vila inúmeros veraniantes.







Obrigada pela sua presença. Volte sempre!

Sem comentários: