quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Poesia Bucólica

Em tempo de férias na aldeia, encontrei na net esta poesia dum autor natural do Souto da Casa, mas que se adapta na perfeição à minha região.


A água cascalhava na ribeira
entre azenhas empoadas de farinha
e numa velha ermida sobranceira
ouvia-se o rumor na capelinha

Um dia fomos lá. Cada moleira
incorporou-se à tua ladainha;
sentia-se o moer da pedra alveira
e, em bailado, voava uma andorinha.

Que oração tão formosa, tão sincera!
Era como se fosse primavera
nesses montes floridos a rezar!
Tive vontade de beijar a santa, 
mas como não chegasse a altura tanta,
foi no teu rosto que eu a fui beijar.




Herculano Rebordão



Porto Silvado photo PA260074.jpg 
 
Obrigada pela sua visita. Volte sempre.




Sem comentários: