quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Vamos Cantar as Janeiras?

Vamos cantar as janeiras?
Esta é uma tradição bem portuguesa. Entre o Natal e os Reis, as pessoas, em especial das aldeias, saem   à noite e percorrem a sua povoação,  cantando algumas quadras a desejar  um bom ano aos seus habitantes. Páram em todas as casas, esperando que o dono lhes abra a porta e lhes dê qualquer coisa de comer ou beber.
Em alguns casos o cantar das janeiras é acompanhado pelo toque de diversos instrumentos. A letra das quadras que entoam diverge de região para região, mas o espírito é o mesmo.
Zeca Afonso escreveu uma canção, a que chamou Natal dos Simples, que imortalizou gravando-a em disco. Não sendo antiga, mantém a raíz popular desta tradição. 
NATAL DOS SIMPLES

Vamos cantar as janeiras
Vamos cantar as janeiras
Por esses quintais adentro vamos
Às raparigas solteiras

Vamos cantar orvalhadas
Vamos cantar orvalhadas
Por esses quintais adentro vamos
Às raparigas casadas

Vira o vento e muda a sorte
Vira o vento e muda a sorte
Por aqueles olivais perdidos
Foi-se embora o vento norte

Muita neve cai na serra
Muita neve cai na serra
Só se lembra dos caminhos velhos
Quem tem saudades da terra

Quem tem a candeia acesa
Quem tem a candeia acesa
Rabanadas pão e vinho novo
Matava a fome à pobreza

Já nos cansa esta lonjura
Já nos cansa esta lonjura
Só se lembra dos caminhos velhos
Quem anda à noite à ventura

O Grupo de Danças e Cantares de Soito da Ruiva tem vindo a cantar as janeiras em vários locais do concelho de Almada. No próximo dia 8 estará às 21 h no Solar dos Zagalos, na Sobreda, onde encerrará o cantar das Janeiras da última quadra natalícia.

Soito da Ruiva - GDCSR no Sobral
 
 
 
 
Obrigada pela sua visita. Volte sempre.


2 comentários:

Ana Martins disse...

Que bonito Lourdes, é uma tradição já muito antiga mas que por aqui ainda se mantém.

Beijinho e Feliz Ano Novo!

Ana Martins

Flora Maria disse...

Como eu gostaria de morar em um lugar onde existissem essas tradições...

Nas cidades estamos tão afastados desse contato simples com a terra e suas histórias.

Beijo