quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Genealogia

Apenas o que passou, ou mudou, ou desapareceu, nos revela a sua verdadeira natureza .
( Cesare Pavese )


                                  
Há já algum tempo que ando às voltas com a genealogia. Após consultar os registos paroquiais existentes na internet, tenho chegado a algumas conclusões  relacionadas com   algumas aldeias da freguesia de Pomares, onde tenho as minhas raízes, ou as dos meus familiares.
Algumas delas têm-me aguçado o apetite para uma investigação um pouco mais aprofundada. É natural que vá encontrando algumas curiosidades, que vou partilhando aqui com todos os visitantes.
Os Livros de Registo de Nascimento mais antigos dos naturais da Paróquia de Pomares já existentes on line, datam de 1626. Não sei ao certo, quando se iniciaram as povoações desta freguesia, mas nesses livros   aparecem primeiro os  assentos da Foz da Moura, Barroja, Sorgaçosa, Sobral (Sobral Magro), Sobral Gordo, Soito da Ruiva e Barrigueiro. Assim aparecem:
Em 27-10-1626,  o registo duma criança na Foz da Moura;
em 2-2-1627,  o registo  de Maria, filha de  Manuel Dias na Barroja;
em 28- 2 1627, o registo de  Luzia, filha de José Francisco no Sobral Magro;
em 7-3- 1627, o registo de Maria, filha de Matias João e Águeda João no Soito da Ruiva;
em 12-9-1627, o registo de Maria, filha de Simão Francisco e Ana Maria, na Sorgaçosa;
em 19-9-1627, o registo de Penólia, filha de Domingos João e Maria Francisca, no Sobral Gordo;
em 1-10-1627, o registo de Simão, no Barrigueiro;
em 18-2-1651, o registo de Maria, filha de Domingos Francisco, no Vale do Torno;

Só mais tarde, aparecem assentos do Vale do Torno, das Corgas, do Porto Silvado e finalmente do Agroal.



- Soito da Ruiva em primeiro plano
 e Sobral Magro ao fundo -





Obrigada pela sua visita. Volte sempre.

3 comentários:

Flora Maria disse...

Vivendo numa cidade novinha, como é São Lourenço, fico impressionada com a antiguidade das aldeias e cidades européias.
Vou tentar descobrir por aqui os registros mais antigos que existem.
Adoro essas pesquisas históricas !

Beijo

Dulce disse...

Um trabalho notável esse que está fazendo, minha amiga. Uma das coisas que me entristessem por aqui, no chamado mundo novo, é exatamente a falta desses arquivos antigos. Se quiser procurar sua linha genealógia, aqui, e não fizer parte das mais tradicionais famílias, não conseguirá.
Beijinhos e bom dia

Marli disse...

Olá amada!
Meu Deus que amontuado de serra é essa.
Nossa eu conheço algumas serra mais essa postagem sua é d+.
Qnto a pintura é passado termolina para não desbotar. Mas não tenho certeza disso porque ainda não lavei.
Espero que não desbote.
Bejs e bom fim de semana.
Marli