domingo, 5 de julho de 2009

A "Romagem"

Os dias vão e vêm como figuras silenciosas e ocultas enviadas de uma adorável festa distante, mas elas não dizem nada, e se nós não usamos os presentes que elas trazem, elas os carregam de volta silenciosamente.
( Ralph Waldo Emerson )

§§§§§------§§§§§

Mais uma vez decorreu a tradicional romaria de Nª Sª das Preces no Vale de Maceira, embora sem o fulgor de antigamente.
- A Capela dos 12 Apóstolos -
Longe vão os tempos, em que esta romaria era aguardada ansiosamente em toda a região.
Ao Vale de Maceira chegavam camionetas de excursão vindas dos mais diversos pontos do país, pois esta era uma das festas marianas mais importantes da Beira.
- Rua onde se encontram as capelinhas representando a Via Sacra -
Nas fotografias de hoje, tiradas no telemóvel da Ana Teresa, podemos verificar que a afluência de pessoas foi diminuta , em nada recordando os tempos passados.



- A procissão -


- A Filarmónica de Aldeia das Dez -



Fotos: Ana Teresa Domingos

Obrigada pela sua visita. Volte sempre.

7 comentários:

Dulce disse...

Boa noite, Lourdes

Vim para desejar-lhe uma boa semana.
beijos

Anónimo disse...

Os novos tempos são tempos de uma maior descrença na fé inflismente que as gentes agora só se lembram de Deus e dos santos quando algo lhes corre mal e ai sim lembram-se do sagrado.Dai o termos menos gente no mais belo Santuario Mariano das Beiras e tambem porque a Irmandade que administra o mesmo nos ultimos anos nada tem feito para atrair a esta festa mais visitantes.Espero que com a nova gerencia da Irmandade eleita muito recentemente nos proximos anos a Romaria venha a ter outra vesiblida.
VOZ DO GOULINHO
António Assunção

Osvaldo disse...

Olá Lourdes;

É sempre bom manterem-se as ancestrais tradições, pena que devido à desertificação do interior do país, as festividades tenham menos afluência e assim, muitas das grandes romarias tendem a desaparecer.

bjs
Osvaldo

Lourdes disse...

Olá Dulce.
Obrigada e desejo também uma boa semana para si.
Beijinhos

Lourdes disse...

Pois é Osvaldo.
A desertificação acaba com algumas das nossas tradições. Para além disso atravessamos também uma grande crise de fé o que não ajuda nada.
Beijinhos

luantes disse...

Eu continuo a dizer
a fé nunca morre e enquanto houver pessaos que teem fé nos seus santos estas romarias vão continuar a acontecer
Mas algumas que antes eram romagens d e fé e oração, tornaram s e hoje meras feiras ambulantes com toda a espécie de diversão e comércio
de qualquer maneira ha sempre aqueles que vão movidos pela fé e pela esperança
Tambem teria gostado d e ir a Aldeia das Dez á senhora das Preces
E a Lourdes faz com que estas tradições não morram fazendo nos ver através do seu blogue que a Senhora das Preces tem pernas para andar
Parabens
um abraço do amigo
Luis

Mourinha disse...

Olá D. Lurdes!
Não fui até lá porque como já viu no meu blog, fui até ao Porto.
Sou católica não praticante mas quando vou ao Vale de Maceira gosto sempre de espreitar as capelinhas e a igreja se estiver aberta e colocar lá na máquina uma moedinha para acender as velas.
Um beijinho para si e para a nova colaboradora fotográfica.