quinta-feira, 9 de julho de 2009

Menos um Amigo no Sobral Gordo




Foi ontem conduzido à sua última morada, um dos grandes amigos de juventude do meu pai : o Sr. António Joaquim Nunes do Sobral Gordo. Para além de conterrâneos eram companheiros de farra, quando se deslocavam às festas das redondezas.
Mais conhecido por ti António da Eira, foi durante muitos anos um dos canastreiros da terra, profissão que exercia juntamente com o irmão José e o pai.
Já não me recordo de ver o irmão pois ele veio viver para Lisboa, mas lembro-me bem do ti António e do ti Zé Nunes a trabalharem na sua arte, envoltos em cestas, tiras e aparas de madeira.
Muitas vezes, quando visitava meu avô paterno, ia com ele para uma fazenda situada à Fonte Velha e passava à porta deles. A visita à sua oficina era obrigatória e ficava extasiada a observar a destreza com que manuseavam as tiras castanho ou carvalho, moldando-as ora num banco ora em torno dos joelhos, causando-me uma enorme admiração.
Era também um exímio tocador de vários instrumentos musicais: harmónio, concertina, guitarra, viola, ... Mas, era a vê-lo tocar o banjo, que eu me perdia nos trinados que tirava daquele instrumento, quando acompanhava qualquer música.



- À direita António Nunes e à esquerda Américo Filipe -

Para a família enlutada, expresso os meus sentidos pêsames e comungo da vossa saudade por este vosso familiar que muito admirava.



Obrigada pela sua visita. Volte sempre.

Sem comentários: