segunda-feira, 27 de abril de 2009

Pão de Ló

Gastronomia é comer olhando pro céu.
(Millôr Fernandes)


§§§§§------§§§§§



Ontem, Domingo, foi dia de receber a família.
Apeteceu-me fazer um bolo e veio-me à lembrança o pão de ló da minha mãe, que ela fazia com a receita tradicional do Sobral Magro.
Pela minha frente desfilaram então imagens do passado e recordei-me das vésperas da festa, em que várias pessoas se juntavam nos fornos comunitários, para fazerem os bolos que iriam servir de sobremesa durante os dias que se seguiam. Um deles era o pão de ló, que na região se chamava "pão leve". A receita eu não aprendi. Era criança e ainda não tinha interesses culinários, mas parece que ainda estou a ver a minha avó e as filhas ( a minha mãe, a tia Ilda e a tia Leonilde) juntamente com as vizinhas Anunciação e filha Idalina, que batiam todos os ingredientes dentro dum alguidar, durante muito tempo. Nessa época ainda não havia luz eléctrica no Sobral Magro e não se utilizavam batedeiras.
Entre cada brincadeira, eu e as minhas primas vínhamos para junto das senhoras, para ver se o trabalho já estava concluído e podermos rapar a massa que ficava agarrada aos alguidares. Mas elas lá continuavam a bater, rendendo-se quando o braço já doía. Mais tarde, a massa era distribuída por formas, que depois de colocadas sobre uma pá, a minha tia colocava habilidosamente no forno de lenha, que anteriormente tinha sido bem aquecido. Às vezes, colocavam uma folha de couve sobre as formas, para que a massa não queimasse.
Finalmente, eu e as minhas primas podíamos rapar os alguidares. E na minha memória desfilamos todas lambuzadas, devido à avidez com que alimetávamos a nossa gulodice.
Como atrás referi, não conheço a receita, mas conheço o resultado que era delicioso. À falta de melhor, fica aqui a receita dum pão de ló vulgar, que faço frequentemente.





PÃO DE LÓ

Ingredientes:

6 ovos grandes
6 colherses de sopa de açúcar
6 colheres de sopa de farinha
1 colher de café de fermento em pó

Preparação:
Bater as gemas com o açúcar até ficar creme fofo e esbranquiçado.
Bater as claras em castelo firme.
Misturar a farinha previamente peneirada juntamente com o fermento.
Envolver as claras em castelo na massa.
Deitar numa forma untada com margarina e polvilhada com farinha.
Levar ao forno a 180 graus durante 30 a 40 minutos.
Quando estiver cozido, desenformar e servir depois de frio.





Espero que experimente e que lhe faça bom proveito!



Obrigada pela sua visita. Volte sempre.

1 comentário:

Dulce disse...

Lourde,

que saudades senti agora de minha mãe... você contando sua história eigualzinho minha mãe contava, de como se juntavam para bater o pâo-de-ló, exatamente como sua mãe e suas tias faziam, até a folha de couve... ah, que saudade, menina...
Obrigada pela receita, que vou fazer na primeira oportunidade.

Beijinhos