quinta-feira, 23 de abril de 2009

Dia Mundial do Livro


A aprendizagem é um simples apêndice de nós mesmos; onde quer que estejamos, está também nossa aprendizagem.

(William Shakespeare)


§§§§§------§§§§§


Hoje Dia Mundial do Livro, a melhor forma que encontrei para escrever o meu post, foi utilizar os versos de Florbela Espanca neste seu conhecido soneto, e o som da voz de Luís Represas.






Ser Poeta


Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Aquém e de Além Dor!


É ter de mil desejos o esplendor
E não saber sequer que se deseja!
É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!


É ter fome, é ter sede de Infinito!
Por elmo, as manhãs de oiro e de cetim...
É condensar o mundo num só grito!


E é amar-te, assim, perdidamente...
É seres alma, e sangue, e vida em mim
E dizê-lo cantando a toda a gente!





Espero que gostem e que este pequeno aperitivo sirva para abrir o apetite para a leitura de todo o livro de Florbela Espanca.


Obrigada pela visita. Volte sempre.

4 comentários:

Dulce disse...

Maravilhoso esse poema da Florbela, Lourdes. Sou apaixonada por toda a obra que ela nos deixou.
Parabéns pela escolha.
beijinhos

Lourdes disse...

Olá Dulce.
Também eu gosto muito da poesia da Florbela.
Beijinhos

Viriato Libertador disse...

Infelizmente os livros são cada vez mais caros. O país precisava de ler mais, prosa, poesia, ler por ler.

Ler é necessário.

Anabela disse...

É lindo este poema da Florbela.
Sempre gostei desta poetisa, mas este poema cantado pelo Luís Represas é ainda mais bonito.
Parabéns pela escolha.
Um grande beijinho.

Anabela