quinta-feira, 30 de abril de 2009

Os Pássaros do Meu Quintal

O homem vangloria-se de ter imitado o vôo das aves com uma complicação técnica que elas dispensam.
(Carlos Drummond de Andrade)


§§§§§------§§§§§



Tenho num quintal anexo à minha casa, ondeexistem algumas árvores, entre as quais este loureiro.



Todos os anos, ele é utilizado pelos pássaros que nele fazem os ninhos.
Este ano foi um casal de melros. Já fiz várias tentativas para fotografar o ninho, mas ele está muito bem protegido pela folhagem e não querendo prejudicar aquela família tão ternurenta, acabei por desisitir.
Há dias, as pequenas e inseguras crias saíram do ninho e era vê-los aos saltitando no terreno, escondendo-se por entre as ervas e ensaiando pequenos e desajeitados vôos. De vez em quando , os pais, que os observavam atentamente, do pinheiro que se encontra junto ao meu terreno, voavam junto ao solo, como que incentivando os filhotes para a aventura.
E aos poucos os vôos tornaram-se mais prolongados até que os vi desaparecer por entre as árvores.





- O melro, atento aos filhos -





Não sei quanto tempo estive encostada à janela da minha cozinha, mas passei horas observando aquelas deliciosas cenas. A dificuldade foi fotografá-los pois, quando o podia fazer, estava tão encantada com as suas brincadeiras, que me esquecia por completo da máquina fotográfica e, quando finalmente a tinha a postos, já eles desapareciam por entre as árvores.



Obrigada pela sua visita. Volte sempre.

2 comentários:

Maria Filomena disse...

Lurdes,
Os melros são espetaculares.... Também os tenho cá em casa... Gostam muito de morangos, pois quando vamos colhe-los estão todos bicados por eles... Há dias na aldeia fui tirar fotografias de manhã às flores, o sol a incidir e os melros a cantar por perto... é lindo....
abraços de Maria Filomena

Hortense Quaresma disse...

Nunca reparei nesse loureiro.
Aqui nas árvores também fazem ninhos e eu estou sempre em guerra com as pessoas que por vezes querem tentar lá chegar.Ainda de noite começam a cantar lembro-me da terra onde também os ouvia
Beijos Hortense