quarta-feira, 29 de outubro de 2008

AINDA O OUTONO


O amor muda como as folhas das árvores no Outono. E, se eu for capaz de entender isto, serei capaz de amar.
(Emily Brönte)


§§§§§------§§§§§
O Outono é a estação que nos conduz calmamente do Verão até ao Inverno.
Ainda há folhas nas árvores que aos poucos se libertam esvoaçantes empurradas pelo vento. O chão cobre-se com um extenso manto de folhas douradas, castanhas e avermelhadas que vão bailando pelo chão.


Aparecem os dias cinzentos com frio e chuva. O vento faz-se sentir com maior intensidade e a lenha à porta de casa convida a permanecer sentada no cantinho da lareira, talvez tricotando uma camisola quentinha.




CANÇÃO DE OUTONO

Perdoa-me, folha seca,
não posso cuidar de ti.
Vim para amar neste mundo,
e até do amor me perdi.

De que serviu tecer flores
pelas areias do chão,
se havia gente dormindo
sobre o próprio coração?

E não pude levantá-la!
Choro pelo que não fiz.
E pela minha fraqueza
é que sou triste e infeliz.

Perdoa-me, folha seca!
Meus olhos sem força estão
velando e rogando àqueles
que não se levantarão...

Tu és a folha de Outono
voante pelo jardim.
Deixo-te a minha saudade
- a melhor parte de mim.

Certa de que tudo é vão.
Que tudo é menos que o vento,
menos que as folhas do chão...
Cecília Meireles

Sem comentários: