segunda-feira, 7 de maio de 2018

Pelos Caminhos de Portugal: Porto Covo

Aproveitando um bonito dia de Primavera, resolvemos fazer um passeio pela costa alentejana. Acompanharam-nos os filhos, nora e netas. 
O dia prometia e não defraudou as expectativas.
O nosso principal objectivo era  conhecer um pouco melhor Porto Covo, uma bonita povoação imortalizada numa canção por Rui Veloso, que a tornou ainda mais conhecida.



Esta vila piscatória, sede de  freguesia do concelho de Sines, é uma povoação projectada no Século XVIII,   à semelhança da Baixa Pombalina.  Constituída por típicas casas alentejanas, brancas com barras azuis ou amarelas.



O turismo é uma das principais actividades da freguesia pois as suas belas praias são bastante procuradas no Verão, proporcionando aos visitantes descanso e tranquilidade.


Outra das atracções da vila é a ilha do Pessegueiro situada a cerca de 250 metros da costa.
Actualmente abandonada, ali podem ser observados alguns vestígios dos povos que por ali passaram, como são os casos dos cartagineses que a habitaram durante o século III AC e dos romanos que têm a sua presença marcada nos tanques de salga de peixe e nas ruínas dum porto romano.


Durante a ocupação espanhola, o rei Filipe II de Espanha e I de Portugal idealizou um projecto de defesa da costa de que constavam dois fortes, um na costa continental e outro na ilha. Deste último apenas restam as ruínas.
No Verão, é possível visitar a ilha existindo carreiras de  barcos para o efeito.



O orago da vila é Nossa Senhora da Soledade. A igreja localiza-se no Largo Marquês de Pombal e foi construída no séc. XVIII.
Trata-se de uma igreja de linhas simples que contrastam com a grandiosidade do retábulo de talha dourada.










Obrigada pela sua presença. Volte sempre!




Sem comentários: