quinta-feira, 17 de maio de 2018

Pelos Caminhos de Portugal: Alcácer do Sal

Continuando a percorrer a  costa alentejana, vamos até Alcácer do Sal,  uma localidade muito antiga, como comprovam os vestígios arqueológicos encontrados que apontam para a existência de vida na região, há mais de 40 mil anos. 




Vários povos passaram por esta localidade, até que em 1217 foi, definitivamente, conquistada aos Mouros.
Em 1218, recebeu foral e a Ordem de Santiago fixou ali a sua sede.
Foi elevada a cidade a 12 de Julho de 1997.
Alcácer do Sal é actualmente sede dum município formado por  4 freguesias: Alcácer do Sal  e Santa Susana, Comporta, São Martinho e Torrão.
Na cidade existem duas paróquias, que correspondem a duas antigas freguesias: Santa Maria do Castelo e São Tiago.

- Santa Maria do Castelo tem por orago Santa Maria


A igreja situa-se  na zona mais antiga da cidade e foi construída no local onde anteriormente existia um templo romano e uma mesquita muçulmana. 
O edifício actual foi fundado pela Ordem de Santiago, após a  reconquista da cidade aos Mouros, por D. Afonso II, em 1217.
Actualmente, a igreja apresenta ainda características arquitectónicas românicas, mas as obras de melhoramentos de que foi alvo,  ao longo dos anos, alterou bastante o traçado inicial.
No interior tem três naves onde se destacam o púlpito setecentista, suportado por um anjo, a talha dourada das capelas, os revestimentos em azulejos e os traços góticos, manuelinos e barrocos.

- São Tiago tem como orago São Tiago


A Igreja   é bastante antiga, mas desconhece-se a data da sua construção. 
No século  XVII, era já pequena para as necessidades da população e D. João V,  Grão-mestre da Ordem de Santiago, ordenou que se fizessem obras de beneficiação e alargamento. 
Situada ao cimo duma grande escadaria, tem um exterior  simples, com duas torres sineiras.
O interior é formado por uma só nave onde se destacam as pinturas, a talha e os painéis de azulejos.
Em 1634, o rei Filipe III de Portugal, tornou-a sede de freguesia. 
Na cidade, existem vários templos que merecem referência. São eles:

- Igreja da Misericórdia



Esta igreja foi construída em 1547, conforme consta numa inscrição numa das suas portas.
Tem um corpo comum à nave e capela-mor e nela se destacam  influências manuelinas, maneiristas e barrocas.

- Igreja do Convento  de Santo António 



Fundado em 1524, durante o reinado de D. João III, por Dona Violante Henriques, o Convento tem uma igreja em cujo exterior  se  destacam as arcadas suportadas por colunas.
No seu interior, alberga  um dos mais importantes exemplares da arquitectura renascentista de Portugal: a Capela das Onze Mil Virgens, construída em  mármore branco.

 Igreja do Senhor dos Mártires 



Este local teve várias funções desde Idade do Ferro. Inicialmente era a Necrópole pública, depois uma ermida de romagem e panteão dos mestres da Ordem de Santiago durante a Idade Média.
As construções iniciaram-se na época da reconquista, pelos cavaleiros de Santiago sendo melhoradas no século XIV e transformadas desde o século XVI.
Este edifício é composto pelo corpo central da igreja, pela capela-mor e por um alpendre.


- Igreja de Nossa Senhora da Graça



Este templo fica situado junto ao mercado municipal. Tem  planta rectangular, com altar-mor e sacristia. O exterior do templo é modesto, embora apresente elementos em baixo-relevo na fachada principal. No interior o destaque vai para a talha dourada.

- Igreja de Nossa Senhora de Aracoeli



Esta igreja, situada  no interior do castelo, faz parte da pousada de D. Afonso II ali existente.
Calcula-se que a igreja terá sido fundada, após a conquista definitiva desta localidade, aproveitando a mesquita privada do último Governador muçulmano.
Ali se  instalou a Sede e Convento da Ordem de Santiago, recebendo por orago  Santiago.  Depois da mudança da sede desta Ordem para Palmela, a igreja foi votada ao abandono.
Desde de finais do século XVI e até meados do século XIX, a igreja voltou a ser usada tendo novamente a padroeira inicial,  Nª Sª de Aracoeli. 

- Igreja do Espírito Santo



A Igreja do Espírito Santo terá sido construída entre os séculos XIV e XV, integrada no edifício dum hospital, da qual restam apenas um portal manuelino e a pia batismal. Tem nave  única com características manuelinas, maneiristas e rococós.
Desde 1914, passou a funcionar neste espaço o Museu Municipal Pedro Nunes, onde se encontra exposto o espólio arqueológico descoberto no concelho, correspondente  à Idade do Ferro e às ocupações romana e árabe.


Do património de Alcácer do Sal destacam-se ainda:
- Castelo



O Castelo construído pelos muçulmanos foi ocupado desde o século VI a.C..
Em 1217, foi conquistado definitivamente pelas tropas portuguesas.
No século XVI a Ordem das Carmelitas de Aracoelli fundou, no castelo, o seu convento que só abandonariam em 1834. 


- Solar dos Salemas




Este solar  situado na zona  histórica da cidade, foi mandado construir por Rui Salema. 
Actualmente ali  funciona  a biblioteca municipal.





Obrigada pela sua presença. Volte sempre!





Sem comentários: