sexta-feira, 29 de maio de 2015

Aldeias Históricas: Trancoso 2

A História de Trancoso é muito rica. Ali se se estabeleceram, na Idade Média,várias  famílias da comunidade judaica, supostamente convertidos, mas que particularmente continuavam a manter  os seus usos e costumes.   


Viviam numa parte da povoação que lhes era destinada, muitas vezes junto a uma sinagoga. Eram as judiarias.

Em Trancoso são bem visíveis as marcas deste povo,  pois  as suas casas   eram marcadas com símbolos próprios que ali permanecem bem visíveis, sendo o seu ex-líbris a Casa do Gato Preto.
Esta casa era também conhecida como Casa do Leão de Judá, é um edifício que se pensa ter pertencido  a uma família judaica ou mesmo ao rabino da comunidade.

Apesar das alterações que já sofreu,  ainda são bem visíveis os elementos esculpidos na fachada principal: as portas de Jerusalém, uma pomba, uma figura representando um homem a entrar na sinagoga e a segurar o kippá e o Leão de Judá. 


Do património judaico presente em Trancoso existe ainda o  Poço do Mestre, que se pensa ser a nascente que alimentava o mickvé ( ritual de purificação judaico utilizando água duma fonte natural).

De tal forma os judeus foram importantes em Trancoso, que o município construiu um pequeno museu que lhes é dedicado, o “Centro de Interpretação Judaica Isaac Cardoso”, onde se pode visitar uma pequena sinagoga.

Para além dos vestígios judaicos existem em  Trancoso outros locais e monumentos que não podemos deixar de visitar. 
O Castelo 
O castelo foi construído no local onde existia um castro pré-romano, mas não se conhece ao certo a sua  origem.
O interior  está muito bem preservado, com passadiços e escadas em madeira que levam à torre de Menagem, à qual podemos subir e  desfrutar de uma vista estonteante sobre os arredores da cidade.
O castelo e as muralhas são os mais importantes e mais antigos monumentos de Trancoso e estão classificados como Monumento Nacional.
Largo do Município
Neste largo sobressaem os Paços do Concelho, um edifício em estilo românico/neo-clássico e a estátua em memória de Gonçalo Anes Bandarra, famoso poeta, profeta e sapateiro que viveu em Trancoso, no séc. XVI e  ficou célebre pelas suas profecias que lhe valeram ser perseguido pela Inquisição.

Casa dos Arcos - Este edifício foi construído no século XVII. Foi sede do tribunal e residência dos juízes de fora.
Praça D. Dinis
Nesta praça situava-se  a Casa da Câmara,  e o Convento de Santa Clara. Era também o local onde se realizavam as feiras e mercados. 
Atualmente, neste bonito espaço podemos apreciar várias construções de arquitetura histórica e religiosa bastante interessantes.  Eis alguns:

Igreja de São Pedro - Em estilo românico tem o brasão com duas chaves cruzadas,  numa alusão a S. Pedro. No interior encontra-se o mausoléu seiscentista do famoso Bandarra, que ali foi sepultado em 1545.
O Pelourinho - À frente da igreja, foi mandado construir por D. Manuel I, na altura em que   atribuiu  Foral Novo, à então vila de Trancoso. Em 1910 foi classificado como Monumento Nacional.
Igreja da Misericórdia -  Construída entre 1742 e 1792,tem sobre a  porta principal o escudo real.
No local oposto, existe   ainda a casa que serviu de quartel do General Beresford, o Palácio Ducal e a Igreja de Santa Maria de Guimarães.

Necrópole




Sem comentários: