quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

A Fonte do Meu Lugar

Os leitores d' O Açor já devem ter reparado que nos últimos tempos, sempre que posto algum poema, escolho um poeta da serra do Açor.
Hoje foi  Viriato Gouveia, natural de Aldeia das Dez e a poesia A Fonte do Meu Lugar que escolhi para divulgar.

A fonte do meu lugar
Ponto de encontro prá amar
Noutro tempo à noitinha
Está para ali a chorar
Por ninguém lá ir buscar
A sua água fresquinha.
Cântaros de barro à cabeça
Já não há quem os conheça
Na elegância do andar
Das moças namoradeiras
Acabaram as cantareiras
Que dantes havia no lar.
Lembra a fonte com saudade
Segredos da mocidade
Devaneios do coração:
Hoje há água da rede
E ninguém lá mata a sede
De amar que havia então.
Em ti bebeu tanta gente
Foste minha confidente
Oh fonte da minha aldeia
Peço-te perdão a cantar
Por nunca mais me sentar
No banco que te rodeia.
A minha fonte esquecida
Sempre fiel e amiga
Merece aqui ser lembrada.
Porque após tanto enredo
Do que ouviu guardou segredo
Do que viu não contou nada.
- Gramaça - Aldeia das Dez -



Obrigada pela sua visita. Volte sempre.

7 comentários:

Ana Martins disse...

Lourdes, boa noite!
E que bonito é divulgar os poetas da sua terra!
"A Fonte do meu lugar", é claramente um poema de saudade pelos tempos que já lá vão. Hoje tudo estás mais simplificado, temos a água em nossas casas e, as fontes estão seguramente muito mais sós. Dá, de facto, uma certa tristeza e a saudade bate forte quando recordamos vivências passadas.

Beijinho,
Ana Martins

Lindalva disse...

Poesia... ah! doce poesia... a vida é poesia ... Olá minha amiga sei que rareo, mas sempre que posso venho aqui me deleitar com tuas postagens sempre escolhidas a dedo que emocionam e, no assunto poesia te convido a participar do 6º Pena de Ouro, mais um evento da Ilha, sabes que estou sempre criando brincadeiras... e tua participação me deixaria feliz, então começa a escrever uma poesia tua que estou no aguardo... Um enorme beijo no coração e tenhas um restinho de semana com muitos sorrisos!

E POSSO PEDIR UM FAVOR RETIRA ESTA CONFIRMAÇÃO DE PALAVRAS NA ILHA EXPLICO COMO RETIRAR, PODES EVITAR PROPAGANDAS CONTINUANDO COM A MODERAÇÃO DE COMENTÁRIOS, MAS TIRA A CONFIRMAÇÃO ESTE É O LINK QUE ENSINA http://ilha-da-lindalva.blogspot.com/p/facilite-os-comentarios.html
DESCULPE É SÓ UM PEDIDO, POIS ESTA CONFIRMAÇÃO AS VEZES DE TÃO MIUDAS AS LETRAS NOS IMPEDE DE DEIXAR UM CARINHO PARA OS AMIGOS...

Lindalva disse...

Poesia... ah! doce poesia... a vida é poesia ... Olá minha amiga sei que rareo, mas sempre que posso venho aqui me deleitar com tuas postagens sempre escolhidas a dedo que emocionam e, no assunto poesia te convido a participar do 6º Pena de Ouro, mais um evento da Ilha, sabes que estou sempre criando brincadeiras... e tua participação me deixaria feliz, então começa a escrever uma poesia tua que estou no aguardo... Um enorme beijo no coração e tenhas um restinho de semana com muitos sorrisos!

E POSSO PEDIR UM FAVOR RETIRA ESTA CONFIRMAÇÃO DE PALAVRAS NA ILHA EXPLICO COMO RETIRAR, PODES EVITAR PROPAGANDAS CONTINUANDO COM A MODERAÇÃO DE COMENTÁRIOS, MAS TIRA A CONFIRMAÇÃO ESTE É O LINK QUE ENSINA http://ilha-da-lindalva.blogspot.com/p/facilite-os-comentarios.html
DESCULPE É SÓ UM PEDIDO, POIS ESTA CONFIRMAÇÃO AS VEZES DE TÃO MIUDAS AS LETRAS NOS IMPEDE DE DEIXAR UM CARINHO PARA OS AMIGOS...

AGORA MESMO NEM SEI SE MEU PRIMEIRO COMENTÁRIO FOI KKKKK SE FOI ENTÃO REPITO KKKK

Artes e escritas disse...

Poema e amizade belos,preciosidades para serem guardadas. Um abraço, Yayá.

Luís Coelho disse...

Cantar as nossas fontes é reviver o passado e acordar as memórias adormecidas no tempo.

Aqui está uma fonte bem cuidada.

Patricia disse...

Olá Lourdes!

Belo poema e que linda fonte :)

Na nossa aldeia também uma fonte, onde todos se juntam, contam-se histórias, programam-se encontros, enfim...muita vida passa por aquela fonte :)

Beijinhos.

Duh Franzen disse...

Linda poesia dos tempos idos, tempos que não voltarão, vivem apenas na memória de quem viveu e de quem escreveu>

Bjos Lourdes