quinta-feira, 16 de junho de 2011

Guia-me a Só a Razão

 



Pomares Guia-me a Só a Razão




Guia-me a só a razão. 
Não me deram mais guia. 
Alumia-me em vão? 
Só ela me alumia. 

Tivesse quem criou 
O mundo desejado 
Que eu fosse outro que sou, 
Ter-me-ia outro criado. 

Deu-me olhos para ver. 
Olho, vejo, acredito. 
Como ousarei dizer: 
«Cego, fora eu bendito» ? 

Como olhar, a razão 
Deus me deu, para ver 
Para além da visão — 
Olhar de conhecer. 
Se ver é enganar-me, 
Pensar um descaminho, 
Não sei. Deus os quis dar-me 
Por verdade e caminho.
 

Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"















 
 
Obrigada pela sua visita. Volte sempre.

5 comentários:

Artes e escritas disse...

Comemorar Pessoa é bom. Um abraço, Yayá.

Mariazita disse...

Bom dia, Lourdes
Fernando Pessoa é digno de ser recordado a toda a hora.
Boa postagem!

Bom fim de semana. Beijinhos

Patricia disse...

Olá Lourdes!

Fernando Pessoa foi um ser humano ilustre, que tinha o dom da palavra.
Bela escolha.

Beijinhos.

Idanhense sonhadora disse...

Gostarei sempre de F. Pessoa !!É o meu preferido ...
Bem-haja ,Lourdes
Beijinho
Quina

Maria disse...

Amiga excelente escolha, lindo poema de Fernando Pessoa.
Tenha um maravilhoso fim de semana
Beijinhos
Maria