quarta-feira, 16 de março de 2011

Nabos de Farinha

Confesso que quando era criança e estava de férias no Sobral, a minha avó sofria tormentos com a minha alimentação. Já aqui contei o que ela passava por eu não gostar de broa. Outro alimento que eu detestava era hortaliça. Ambas eram base da alimentação da serra e daí a dificuldade que a minha avó tinha para me alimentar. Agora, recordo com saudade a comida  da avó. A broa continuo a não gostar muito mas a hortaliça faz parte obrigatória da minha alimentação diária.
E hoje cá em casa, foi dia de saudade no que diz respeito à culinária. Estava para cozinhar uns grelos de nabo e lembrei-me dos nabos de farinha da avó Ana. Como tinha mais folhas que grelos, foi o que fiz para o jantar.
Aqui vai a receita:

Nabos de Farinha da Avó Ana

A avó punha uma panela de ferro com água e um pouco de sal junto ao lume da fogueira.  Logo que a água começava a ferver juntava  as folhas dos nabos bem lavadas e deixava-as cozer.
Depois de cozidas, punha-as a escorrer.
Colocava depois uma frigideira com azeite sobre umas "trempes" na fogueira e picava para dentro um dente de alho. Juntava depois os nabos já escorridos, Mexia tudo com uma colher de pau, acrescentando  farinha, sem parar de mexer, até ficarem  sequinhos e a farinha não saber a cru.
Depois, quase sempre  servia de acompanhamento a sardinhas, carapaus ou bacalhau fritos.


Eu acompanhei com bacalhau frito. Devo dizer que os nabos de farinha estavam deliciosos, apenas faltando o travo amargo dos nabos criados no meio do milho, que amarujavam e conferiam um sabor caraterístico a este  prato da gastronomia da minha serra.
 
Obrigada pela sua visita. Volte sempre.


5 comentários:

Anónimo disse...

Tambem eu em miudo comi muitas vezes esse pitéu feito tambem pela minha avó com o andar dos tempos e com as modernices da nossa alimentação os nabos de farinha cairam no esquecimento mas como tambem tenho um jeitinho para a cosinha em breve vou saborear de novo esse manjar.
Voz do Goulinho
ALA Poemas
António Assunção

Luis Antunes disse...

Cara amiga Lourdes
Ora aí está um prato que em faz crescer agua na boca
Ainda hoje aminha mulher faz um prato assim mais ou menos igual
Infelizmente menos vezes que o desejado por falta d e material
o nabo para mim tem que ser esse mesmo criado lá na aldeia no meio do milho ou fora dele é sempre bom
Eu até chamo a isso esparregado acompanhado. É optimo

Marli disse...

OLÁ Amiga!
Nem me fala de avó, eu amava minha fofinha avó.
ela era muito especial.
Me deu até saudades.
Esse parto com certeza deve está gostoso, pois os avós só queria os bem dos neto.
Abraços,
Marli

Marli disse...

OLÁ Amiga!
Nem me fala de avó, eu amava minha fofinha avó.
ela era muito especial.
Me deu até saudades.
Esse parto com certeza deve está gostoso, pois os avós só queria os bem dos neto.
Abraços,
Marli

Flora Maria disse...

Delícias da vida simples !

A farinha é a de mandioca ?
Beijo