sexta-feira, 11 de março de 2011

Fim de Semana com Poesia de Thiago Mello


FULGOR DO SONHO
De tudo o que já me deu
agradeço à vida o sonho
da rosa que não ganhei.


Minha mão não alcançou
a estrela que desejei.
Seu fulgor o sonho inventa,
invisível no meu peito.


O navio embandeirado
que espero desde criança
está custando a chegar.


Não faz mal, canta o meu sonho,
nas águas que ele navega


Sabem a sal de esperança.
Nada perdi... como posso
perder o que nunca tive?


Vivo a vida do meu sonho,
meu sonho, de sonho vive.


Thiago de Mello

Obrigada pela sua visita. Volte sempre.


6 comentários:

Luís Coelho disse...

Parabéns pela poesia aqui trazida.
Enquadra-se no tempo que vivemos e nos sonhos que acalentamos....

Sonhos que os não tem ? Trabalha-se uma vida inteira na miragem de um sonho...que alguns sem vergonha nos roubam e destroiem.

Patricia disse...

Belíssimas flores e maravilhoso poema.
Gostei muito :)

Beijinho grande.

Mariazita disse...

Olá, Lourdes
Muitas vezes os nossos sonhos alimentam-se de sonhos, é bem verdade.
Mesmo assim é melhor do que não os ter, porque viver sem sonhos é viver sem esperança.
Muito bonito, o poema.

Bom fim de semana. Beijinhod

Maria Teresa disse...

Lourdes:
Ainda bem que os sonhos nos renovam e nos alimentam. Lindo post.
Beijos

Maria disse...

Amiga excelente escolha, lindissimo poema e flores maravilhosas.
Aproveito para desejar um bom Domingo e uma excelente semana.
Beijinhos
Maria

Maria disse...

Amigo recebi um selinho que faço questão de partilhar consigo, pois quero deixar o meu apreço pelo seu blog, um espaço maravilhoso. Está no meu cantinho “SELINHOS – Presentes dos AMIGOS”, é um miminho especial é o Selo “GOTA NO OCEANO”.
Beijinhos
Maria