quarta-feira, 26 de maio de 2010

A Carqueja


Nesta altura do ano, a minha serra encontra-se repleta de flores campestres.  As suas encostas apresentam  um vistoso colorido que faz bem aos olhos e  alegra a alma.
Na serra existem muitas espécies botânicas que, para além da sua beleza, durante muito tempo foram o primeiro recurso usado pelos seus habitantes, no tratamento de algumas doenças.  Longe do médico e da
"botica" e sem recursos para a eles recorrerem, usavam frequentemente a  flora endógena , pondo em prática o conhecimento passado de pais para filhos. Fazendo infusões,  inalações, cataplasmas,  lavagens e outros processos, utilizavam as diferentes plantas, conforme o tratamento que o seu problema necessitava.
Nos últimos tempos, mas por outras razões,  esta prática está de novo a ganhar muitos adeptos, tanto para tratamento como para prevenção de alguns problemas de saúde.
Aproveitando o facto de os arredores do Sobral Magro estarem em flor, Ana Teresa enviou-me fotos de algumas das espécies mais abundantes e mais usadas com  fins terapêuticos na aldeia.
Hoje a imagem representa uma delas:

A Carqueja


- Carqueja em flor -

Com as folhas deste arbusto, pode fazer-se um chá que é considerada uma boa ajuda na digestão,  utilizado-se para resolver  problemas de fígado, estômago e intestinos. É também  diurético e há quem o utilize para reduzir o peso e, se em vez das folhas utilizar  a sua flor, obterá uma boa  ajuda no combate da diabetes e das constipações.






Obrigada pela sua visita. Volte sempre.

3 comentários:

Flora Maria disse...

Oi, Lourdes:
A Carqueja em Portugal, não é a mesma Carqueja do Brasil !
Por isso gosto de saber o nome científico das plantas: estranhei a foto e fui conferir no Wikipedia.
A Carqueja portuguesa é = Pterospartum tridentatum
E a brasileira é = Baccharis trimera.

Minha mãe falava de um lugar na aldeia dela chamado de Monte das Carquejas e eu pensava que era a carqueja que eu conhecia.
A brasileira é totalmente diferente.

"Vivendo e aprendendo"...
Beijo

poetaeusou . . . disse...

*
carqueja,
do meu regredir,
a minha familia tem um Pinhal
ao qual eu ia, quando jovem,
apanhar carqueja que servia,
com o chamado sabão amarelo,
para lavar o soalho das casas,
devido á sua solidez,
ainda não havia os omos e vins !
srsrsrsrsr,
para chás e infusões não sabia,
bem, vou experimentar !!!
,
conchinhas, deixo,
,
*

Fernanda disse...

Amiga Lourdes,

Este teu post despertou a minha curiosidade.
Primeiro porque também uso e colho, no monte, carqueja e a sua flor.
Depois, se não te importas, gostaria de levá-lo e publicá-lo no Saúde e Alimentação.
Dar-te-ei todos os créditos.
Passo mais tarde para saber a resposta.
Beinjinhos

Na casa do Rau