segunda-feira, 3 de novembro de 2008

CEMITÉRIO DE SOBRAL MAGRO


Tudo em nós é mortal, menos os bens do espírito e da inteligência
(Ovídio)



§§§§§------§§§§§



O cemitério foi desde sempre uma das grandes ambições dos sobralmagrenses.
Sobral Magro situa-se a uma légua de Pomares e era penoso o caminho a percorrer, para levar os defuntos à sua última morada.
No entanto, em 1955 iniciaram-se as obras de construção e em 1959 o cemitério já era uma realidade.
A partir de então, este cemitério passou a servir também a povoação do Soito da Ruiva. As obras orçaram em 180 mil escudos.
Aqui fica uma sequência de fotografias tiradas durante a sua construção.



- O início das obras -
- Trabalhadores nas obras do cemitério -


- O padre a cortar a fita -

- Cerimónia da inauguração -


Foi, sem dúvida um bom melhoramento para estas povoações, mas os familiares dos defuntos que ali jazem começaram a comprar as campas e, rapidamente o cemitério se tornou pequeno para as necessidades das duas povoações.
A Junta de Freguesia mostrou-se bastante sensível para a resolução do problema e procedeu ao seu alargamento, pintura e abertura de mais um portão.
Neste momento, o cemitério tem mais um talhão, ao qual faltam apenas retirar as pedras que ainda estão misturadas com a terra, para começar a ser utilizado.





2 comentários:

Anónimo disse...

Ola Maria de Lourdes
tenho observado as fotos que tem publicado e se O sobral estivesse situado no vale era parecido com a minha aldeia
aliás acho que todas a s nossas aldeias teem muitas semelhanças
aco o Açor um blogue interessantissimo
por isso o destaquei no meu blogue para que todos possam ver as suas postagens conformr for publicando
um abraço

Lourdes Filipe Martinho disse...

Obrigada pela divulgação que faz do meu blogue e pelas simpáticas palavras que me dirigiu. Também eu gosto de diariamente passar pelos blogues da região, para me inteirar dos principais factos que por lá se passam e dos interesses de cada aldeia. Acho que com estes blogues damos a conhecer um pouco deste Portugal "distante". Uma vez mais os meus agradecimentos e volte sempre.
Um abraço
Maria de Lourdes