quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Pelos Caminhos de Portugal: Bragança III

Da recente visita que fiz a Bragança, vou continuar a partilhar alguns dos locais que visitei.
Além da Cidadela , a zona histórica da cidade extramuros  vale a pena ser visitada. 
Descendo por um emaranhado de ruas vamos chegar ao antigo Paço Episcopal. É aí que vamos encontrar o museu Abade de Baçal.
Francisco Manuel Alves foi pároco da localidade de Baçal e conciliou o seu exercício como sacerdote com o estudo de  genealogia, arqueologia, etnologia e história do nordeste transmontano.
Ao longo da sua vida, foi também escritor e recolheu um importante  espólio relacionado com as suas investigações.

Em 1925 foi nomeado director do Museu Regional de Bragança e, em 1935, data da sua  jubilação passou a designar-se Museu do Abade de Baçal, em sua homenagem.
 
Do lado oposto ao Museu, encontra-se a traseira da  igreja de São Vicente, onde segundo conta a lenda D. Pedro I terá casado secretamente com D. Inês de Castro.
A entrada  faz-se pelo Largo Principal. Na fachada exterior destaca-se um espetacular pórtico ladeado por bonitas colunas. Num dos lados, situa-se um chafariz, encimado com as armas reais e a data de 1746 e uma pequena capela , que atesta a importância da semana santa em Bragança. 


No lado oposto,  um Painel de azulejos, recorda a proclamação do General Sepúlveda contra a invasão francesa.
Entrando no templo, sobressai  a imponente capela-mor com abóbada estrelada, o arco triunfal e os retábulos em talha dourada.





Obrigada pela sua visita. Volte sempre.






Sem comentários: