quinta-feira, 26 de maio de 2011

Corre a água cristalina

No fim de semana, sabe bem um pouco de leitura. Deambulando pela net encontrei este lindo poema  em http://poemasdeamoredor.blogs.sapo.pt/  que partilho com os leitores d' O Açor.
Corre a água cristalina


Corre a água cristalina.
Mata a sede é fresca e pura.
Vai à fonte a menina
Com espreitada formosura.




Traz colo de rosa.
Duas roseiras atrevidas…
-Menina que corres à fonte
De onde vêm os teus risos?
-Vêm do cimo do monte!
Da brancura dos granizos!
Vai a água à fonte
Vai a fonte às rosas…
Cobiçadas por sorrisos…




E traz um sorriso atrevido.
Um cântaro de mão na ternura.
Vem a sede à menina,
Mata a sede, fresca e pura,
Corre a água cristalina
Que se espraia na secura…




Alagada por sorrisos…
Com que corres à fonte
De onde vêm os teus risos
-Vêm do cimo do monte!




Tanta sede molha os seios…
Tanta sede desatina…
Vem a fonte por seus meios
Corre a água cristalina
Enche o cântaro é fresca e pura
Vai a sede à menina…
Não tem sede a formosura…


Rogério Martins Simões






Obrigada pela sua visita. Volte sempre.

Sem comentários: