terça-feira, 3 de julho de 2018

Pelos Caminhos de Portugal: Estremoz

Estremoz é uma típica cidade alentejana de casas branquinhas, que lhe auferiram o título de Cidade Branca. 
A  importância da região onde se encontra implantada, remete-nos para a época da ocupação Romana e Muçulmana, sendo conquistada pela primeira vez, aos Mouros, em 1185, por Geraldo Geraldes, o Sem Pavor.




Várias vezes perdida e reconquistada,  entrou finalmente na posse do reino, recebendo   o seu primeiro foral em 1258, por D. Afonso III. 
Foi nesta região, que no século XIII,se fizeram as negociações do casamento do rei D. Dinis com D. Isabel de Aragão, que após a morte do marido, se recolheu no Castelo, onde viveu os últimos dias da sua vida.



No século XVII, no contexto da Restauração da Independência do país,  D. João IV mandou construir uma segunda linha de fortificações.
São estas duas linhas de fortificações que  dividem a cidade em duas partes: a cidade alta e a cidade baixa.


A primeira remonta à fundação da localidade e corresponde à parte alta da cidade, situada numa colina. 
Ali podemos encontrar  o Castelo e a vila medieval com ruas estreitas e irregulares,  protegidas por uma muralha.
O Castelo actualmente é uma pousada e na  praça principal uma estátua de Isabel de Aragão, mulher de D. Dinis, domina a paisagem circundante.


A Torre de Menagem, também apelidada por  " Torre das Três Coroas" é considerada uma das mais imponentes do país, tem 28 m de altura e
fica situada à entrada da Pousada.

Em frente ao castelo vamos encontrar o que resta do Palácio Real de D. Dinis, em grande parte destruído, devido a uma explosão do paiol do palácio em  1698.    
O Museu Municipal Professor Joaquim Vermelho, foi transferido, em 1972, para um edifício do século XII.

A cidade baixa é mais moderna e situa-se numa zona mais plana. Está rodeada por uma muralha construída no século XVII, durante as guerras da Restauração. 




Até à reforma administrativa de 2013, existiam na cidade duas freguesias, a de Santa Maria e a de Santo André. A partir de então as duas freguesia foram agregadas, passando  a ser apenas uma, denominada União da Freguesias de Estremoz.



Religiosamente  a cidade está dividida em duas paróquias, a de Santa Maria e a de  Santo André.
Paróquia de Santa Maria


A actual Igreja de Santa Maria foi mandada construir por D. Sebastião e pelo Cardeal D. Henrique, durante a segunda metade do século XVI, junto ao Castelo, no local onde anteriormente existia um outro templo de estilo românico.

Em 1730 era priorado da Ordem de Avis. 
O orago é Santa Maria.

Paróquia de Santo André
Esta freguesia paroquial, cujo orago é Santo André, já existia  no século XV e foi priorado da Ordem de Avis.
A igreja sofreu obras de restauro ao longo dos tempos  até à altura em que foi demolida sendo ali construído o Palácio da Justiça.
A partir de então, o culto passou a ser realizado na Igreja dos Congregados.


Em Estremoz existe um importante património de que destaco:

- O Castelo
- O  Paço Real
- O Convento e Igreja de São Francisco



- A Igreja de Santa Maria 
Castelo de Estremoz
- Café Águias D’Ouro
- Convento dos Congregados
- Torre das Couraças
- Pelourinho



- Capela de Nossa Senhora dos Mártires
- Claustro da Misericórdia





Obrigada pela sua presença. Volte sempre!




Sem comentários: