quinta-feira, 13 de julho de 2017

Vila Franca da Beira

Hoje vamos até à outra   localidade que, com Ervedal, forma a União de Freguesias de Ervedal e  Vila Franca da Beira.



Situada a 2,5 Km de Ervedal, seguindo pela ER 231-2, vamos encontrar esta localidade, também ela com sinais de vida desde tempos da pré-história. 
Crê-se ter origem num castro, como o comprovam  algumas casas de pedra rústica, com uma única entrada, virada para um  pátio comum a várias outras casas, de forma a, em conjunto, se defenderem dos lobos, que frequentemente atacavam a população.



Devido à proximidade com o Ervedal,  a história das duas povoações seguiu um rumo idêntico. Também Vila Franca da Beira foi doada pela rainha D. Dulce às mesmas instituições e incluída na " Honra do Couto do Ervedal ",  nos séculos XIII/XIV.
Ao longo dos tempos, esta localidade foi recebendo topónimos diferentes. Até ao Concílio de Trento (1545-1563) era o Vigário que atribuía o nome às povoações sem seguir qualquer regra, pelo que muitas mudavam frequentemente de nome.



Pensa-se ter sido o que se passou com Vila Franca da Beira que, no Censo da População do Reino de 1527, aparecia com o topónimo Urrais. Em 1682, passou a ser  referida apenas por Vila Franca. Mais tarde, devido à proximidade de Ervedal, passou a ser conhecida por Vila Franca do Ervedal, até que em 1978, por vontade dos seus habitantes, passou a ser tratada por Vila Franca da Beira.



Em 1988, a povoação foi  elevada à categoria de freguesia libertando-se, do Ervedal.
A reorganização administrativa de 2012/2013 extinguiu a freguesia e juntou-a, de novo, com a antiga freguesia de Ervedal, criando a União das Freguesias de Ervedal e Vila Franca da Beira. 


A padroeira desta localidade é Santa Margarida, desconhecendo-se a data de construção da capela erigida em sua honra no local onde, mais tarde, foi reigido um cruzeiro. 
Entretanto, a capela tornou-se  pequena para a população que aumentara e  construiu-se uma maior, consagrada a  Nossa Senhora da Conceição, que ficou concluída em 1891. Na nova capela , foi colocada uma imagem da padroeira, Santa Margarida, que foi roubada, bem como as esmolas da Capela.   


Obrigada pela sua presença. Volte sempre!

Sem comentários: