terça-feira, 11 de julho de 2017

Travanca de Lagos

Travanca de Lagos fica a  cerca de 10 quilómetros do concelho e comarca de Oliveira do Hospital.



Da história da povoação sabe-se que a região foi ocupada em épocas bastante remotas. Segundo consta na Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira terá havido por aqui povoamento há cerca de 5.000 - 6.000 anos.
Durante a ocupação da Península Ibérica pelos romanos, eles estiveram na zona e deixaram vestígios que o comprovam, como os que se encontraram na vizinha freguesia da Bobadela.
O topónimo inicial era apenas Travanca.
A primeira referência conhecida desta povoação data do ano de 969, numa carta de testamento duma senhora que doou os  bens que possuía  entre o Mondego e o Alva, ao Mosteiro do Lorvão,  em especial, Midões, Touriz e Framiães  e onde era referido que Midões e Touriz confrontavam com a vila de rústica de Travanca.



Em 1180, a rainha D. Dulce de Aragão, esposa de D. Sancho I, comprou 19 casais em Travanca o que prova que esta povoação era já bastante conhecida.
Em 1258, nas Inquirições de D. Afonso III, Travanca pertencia à Coroa e tinha um celeiro real, para nele se depositarem os foros da coroa. 

No séc. XV e XVI,  recebeu uma comunidade de judeus convertidos, como o comprovam vários edifícios com as características das judearias.
Mais tarde, passaram a chamar-lhe Travanca de Lagos, para distinguir as diversas "Travancas" que existem no país.


O orago é S. Pedro.
A paróquia de S. Pedro de Travanca é anterior ao século XIII, mas não se conhece a data da construção da igreja primitiva. No entanto,
é possível que parte do templo atual, date do século XVI, pois o arco triunfal, com arco e fustes torsos, 
parecem ser da época manuelina.
Durante os  séculos XVII ou XVIII, a Igreja foi alvo de obras de melhoramentos 
O interior, tem nave única, com quatro pilares de cantaria.   Um arco triunfal dá acesso à capela-mor, onde sobressai um retábulo de talha.


Para além da igreja Matriz  existe ainda, em Travanca de Lagos, a  capela de Santo António. 
Esta  pequena capela, construída em cantaria de granito, tem a fachada principal a terminar em empena, com cornija, encimada por uma sineta. 
O interior, a precisar de algumas obras, tem o tecto em abóbada de madeira pintada. No interior, destaca-se o altar branco em talha com  pormenores dourados, ornado  com pinturas sacras  e o patrono  em madeira policromada.


Do património desta localidade fazem também parte algumas casas senhoriais, fontes,...



Obrigada pela sua presença. Volte sempre!

Sem comentários: