quinta-feira, 13 de abril de 2017

Sazes da Beira

Sazes da Beira é mais uma povoação do Parque Natural da Serra da Estrela que pertence à Rede de Aldeias de Montanha do Concelho de Seia e fica situada a cerca de 20 Km do ponto mais alto da serra. 
Segundo se pensa, foi fundada no século XV por famílias de pastores  de Sandomil e das Corgas, que ali se fixaram aproveitando os terrenos férteis e proximidade de água.
Esse local foi chamado de Sazes Velho e em 1527 tinha 65 habitantes.
Mais tarde, acabaram por se fixar no local onde hoje se situa  Sazes da Beira.
Desconhece-se a data da fundação da freguesia, mas  nos registos paroquiais já existia em 1612.
Desde o  seu início, a aldeia pertenceu ao concelho de Sandomil. Só em 1836, quando este concelho foi extinto,  Sazes da Beira foi integrada no de Loriga. Em 1855, também o concelho de Loriga foi extinto e a povoação passou a integrar o concelho de Seia.
Devido à sua localização, esta aldeia é um excelente miradouro, onde  se pode desfrutar uma  deslumbrante  paisagem envolvente.
É uma aldeia rural e as principais  actividades dos seus habitantes foram, durante muito tempo, a agricultura e a criação de gado

No entanto, a partir da 2ª Guerra Mundial, uma nova actividade veio contribuir para  uma grande mudança na aldeia: a extracção de minério. Isto deveu-se à  existência de volfrâmio, usado no fabrico de canhões, no subsolo da aldeia. 
A partir de então,  tanto os naturais da terra, como  muitas pessoas vindas de outras povoações, dedicaram-se  à procura deste minério,   contribuindo também para o aumento da população de Sazes da Beira.

Terminada a guerra,  a economia da freguesia entrou em crise e parte da população partiu em busca de melhores condições de vida.
Actualmente, Sazes da Beira seguiu o exemplo doutras  aldeia serranas, virando-se para o Turismo, aproveitando as potencialidades que a serra lhe oferece.

A padroeira de Sazes da Beira é Nossa Senhora do Rosário.
A Igreja Matriz data de 1731 e é um edifício simples com torre do lado esquerdo da fachada.
No interior tem um altar gótico.

Do património da aldeia, destaco ainda:
- Capela de Santa Eufémia ( do século XIX)



- Capela da Senhora do Monte Alto (datada de 1906)  
- Couto Mineiro do Malha Pão (século XIX)
- Moinhos de Água (século XIX)




Obrigada pela sua presença. Volte sempre.








Sem comentários: