sexta-feira, 21 de março de 2014

Porque É Fim de Semana: Freguesia de Pombeiro da Beira


Com mais um fim de semana à porta vamos continuar a descobrir as aldeias do concelho de Arganil e vamos conhecer um pouco da freguesia de Pombeiro da Beira. Hoje começamos pela sede de freguesia, uma aldeia que foi vila e sede de concelho, até ao ano de 1855, ano em que foi integrada no concelho de Arganil.
Para além de Pombeiro da Beira, fazem também parte desta freguesia, a terceira maior do concelho, as seguintes aldeias: Alagoas, Alcaria, Aldeia-Nova, Arroça, Aveia, Azenha, Bufalhão, Casal do Frade, Castelo, Chapinheira, Chãs Grandes, Chãs Pequenas, Couços, Covais, Eira-Velha, Lomba, Murganheira, Picadoiro,  Portela do Vale Diogo, Póvoa da Rainha Santa, Priados, Ribeira da Aveia, Roda, Salgueiral, Sarnadela, Servo, Vale Além, Vale Diogo, Vale Maladão, Vale Monteiro, Vilarinho do Alva.  
Da história desta povoação sabe-se, através de vestígios arqueológicos encontrados na região que por ali havia vida no tempo  dos romanos. Mais tarde, fez parte do senhorio de Arganil, até que D. Afonso IV o dividiu em dois e deu o senhorio de Pombeiro a Martim Lourenço da Cunha. Sucedeu-lhe o filho João Lourenço da Cunha, primeiro marido de D. Leonor de Telles, que mais tarde casaria com D. Fernando, rei de Portugal.
O senhorio foi passando de geração em geração e, em  1513 D. Manuel I concede-lhe carta de foral, dando aos seus habitantes vários privilégios. A partir do século XVII, o senhorio chega, por casamento, às mãos da família Castello Branco, com a qual acaba na ruína e na posse dos rendeiros.














Nos dias de hoje,  podemos apreciar na região, algum património de valor histórico, arquitetónico e paisagístico:
O Pelourinho:
Em Pombeiro da Beira existiu em tempos um pelourinho com as armas dos Cunhas, primeiros senhores de Pombeiro, que foi destruído. Recentemente, a Junta de Freguesia conseguiu recuperar o fuste e o remate   na Capela de Santo António e reconstituiu-o. 
A Igreja Matriz:
A igreja matriz  dedicada a  São Salvador, foi inaugurada em 1622  e  foi construída no local onde existiu uma outra mais antiga.  Tem três naves, quatro arcos de cada lado sobre colunas toscanas e um púlpito levantado em coluna.  Na  capela-mor são de admirar um magnífico altar e um sacrário muito antigo em pedra de Ançã.
Altar mor
Pormenor do altar mor (Foto de Silvaped)

Na igreja existem dois túmulos de interesse histórico e arquitetónico. Um deles,  de estilo gótico medieval, é do início do século XVI e nele  jaz o  7º senhor de Pombeiro, Mateus da Cunha. Na década de 40,  foi classificado como Imóvel de Interesse Nacional.
Tumulo Mateus da Cunha
Túmulo de Mateus da Cunha (Foto de Silvaped)

A Capela de Santo António:
Capela que tinha sido destruída, sendo reconstruída em 1800. Nela se usaram algumas  peças do Pelourinho como é o caso das armas dos senhores de Pombeiro e ali se pode também observar um túmulo do século XVII.

A Capela da Sra. do Loureiro:
Esta capela tem a mais antiga inscrição existente em Pombeiro da Beira,  pertencente a uma lápide funerária da época dos romanos e que é  o maior testemunho da antiguidade da povoação.



Paisagem
Inserido numa região de grande interesse paisagístico, Pombeiro da Beira tem também bonitos locais para desfrutar da natureza, sendo alguns deles privilegiados desde a construção da barragem das Fronhas, que iremos descobrir na próxima semana.


 


















  
 


Obrigada pela sua visita. Volte sempre.

Sem comentários: