sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

Porque é Fim de Semana: Penaverde

Porque é Fim de Semana, vamos prosseguir na descoberta do nosso país, mais concretamente na zona centro e no concelho de Aguiar da Beira, do distrito da Guarda. 
Desta vez, vamos para a freguesia de Penaverde, que é constituída pela sede de freguesia e por mais cinco povoações:  Prado, Mosteiro, Moreira, Urgueira e Feitais. 
Penaverde é  uma povoação muito antiga. Embora se desconheça  a data da sua fundação, existem nas proximidades necrópoles com diversas sepulturas antropomórficas  escavadas na rocha, que atestam a antiguidade da presença humana na região. 
Recebeu foral de D. Sancho II a 12 de Julho de 1240, passando a  vila e sede de concelho,  sendo constituído pelas freguesias de Dornelas, Forninhos, Penaverde e Queiriz. D. Manuel concedeu-lhe foral novo em Lisboa a 17 de Julho de 1514.
Foi anexada ao concelho de Trancoso em 1896, que suprimiu o concelho de Aguiar da Beira, voltando a este quando restaurado por decreto de 13 de Janeiro de 1898.
Tem como orago  Nossa Senhora da Purificação (Nossa Senhora das Candeias), venerada na sua Igreja Matriz. 

Esta Igreja é constituída por uma nave, uma capela-mor, uma sacristia e uma torre sineira. No seu interior, destaca-se o coro-alto, o baptistério sob a base da torre e os retábulos colaterais de talha dourada e policromada de estrutura tardo-barroca.
Sofreu obras, nos anos de 1965 a 1967 e apresenta a forma de cruz. No centro o altar-mor faz a união entre o corpo da igreja, o transepto e a sacristia, que se situa nas costas do mesmo.

Existe ainda uma outra capela em Penaverde, a Capela de Santiago.


Data do século XVII, tendo sido alterada no século XVIII e ampliada no século XX. 
Foi construída num estilo vernáculo muito simples, destacando-se o remate das fachadas em cornija em papo de rola e o retábulo-mor.

Do Património de Penaverde destacam-se ainda:

- Pelourinho

Construído em granito tem um fuste octogonal encimado por uma pirâmide oitavada.

- Antiga casa da Câmara. 

- Sepulturas antropomórficas  escavadas na rocha.




Obrigada pela sua presença. Volte sempre!




Sem comentários: