sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Porque É Fim de Semana: Freguesia de Alvares

Porque é fim de semana vamos continuar a conhecer mais algumas  aldeias do concelho Góis.
Vamos agora  descobrir um pouco  da freguesia de Alvares.
A região a que corresponde a actual freguesia de Alvares estende-se para a bacia do Zêzere, na vertente sul dos maciços da Lousã e do Açor. Desconhece-se o início do seu  povoamento mas, os vestígios encontrados junto às localidades de Amieiros e Cabeçadas, conhecidos por Pedra Letreira comprovam que   é anterior a  3000 A. C.. 
Vários historiadores afirmam que a presença humana na região se deve à existência de  minas de ouro, prata, cobre e outros metais.
Os Romanos chegaram a Alvares por volta de 600 anos D.C. e ali   exploraram as minas situadas ao longo da ribeira do Sinhel,  próximo da Roda Cimeira.
Seguiram-se os Mouros que chegaram por volta de 712 D. C. e que continuaram a exploração mineira. Da presença destes povos resta   um grande legado  arqueológico, encontrado nas minas.
Em 1162, o  território que abrange esta freguesia era uma herdade, a  Herdade de Alvares, que pertencia ao  mosteiro de Folques ( Arganil). Foi doada a Martim Gonçalves e sua mulher Maria Viegas,conforme consta na Carta de Foral de Setembro de 1281, confirmada pelo rei D. Dinis.

D. Afonso V, substituiu o Foral, onde Alvares aparece já com a designação de concelho e em 1514 foi confirmado com Foral Novo  por D. Manuel I que lhe deu honras de vila.Em 1826, o concelho recebeu a freguesia   da Portela do Fojo até que em 1855, o concelho foi extinto.
A partir dessa data, a freguesia de Portela do Fojo passou para o concelho  da Pampilhosa da Serra e a freguesia de Alvares foi integrada no concelho de Góis.

Chaminé da antiga fábrica de Burel em Alvares(Foto: João Reis Antão)


Desta freguesia  outrora  famosa pelo fabrico de burel e indústria resineira fazem parte   as seguintes localidades:  
Algares,  Amieiros, Amiosinho, Amioso Cimeiro, Amioso do Senhor, Amioso Fundeiro, Boiça, Cabeçadas, Candeia, Caniçal, Carrasqueira, Casal Novo, Chã de Alvares, Cilha Velha, Coelhosa, Corga da Vaca, Cortes, Estevianas, Fonte dos Sapos, Fonte Limpa, Foz, Lomba, Madeiros, Mega Cimeira, Mega Fundeira, Milreu, Obrais, Portela do Torgal, Relva da Mó, Roda Cimeira, Roda Fundeira, Simantorta, Telhada, Vale da Fonte, Vale do Laço, Varzina.






Fotos: João Reis Antão 





Obrigada pela sua presença. Volte sempre.




1 comentário:

Anabela Jardim disse...

Nossa! Quanta história por aqui. Pensava que o foral tinha sido usado somente aqui no Brasil.