sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Fim de Semana à Porta

Mais um fim de semana que, no meu caso, será para ficar em casa em família aguardando que a Leonor se recomponha totalmente. Nada melhor que a companhia dum livro e se for de poesia tanto melhor.

Por essa razão, hoje é dia de poesia que desta vez é da autoria de Antero de Quental.

               Voz de Outono 
            Ouve tu, meu cansado coração,
                     O que te diz a voz da Natureza:

                    - "Mais te valera, nú e sem defesa,

                   Ter nascido em aspérrima solidão.

       Ter gemido ainda infante, sobre o chão
                Frio e cruel da mais cruel deveza,
     Do que embalar-te a fada da Beleza,
              Como embalou, no berço de ilusão.

   Mais valera à tua alma visionária
             Silenciosa e triste ter passado

            Por entre o mundo hostil e a turba vária,

( Sem ver uma só flor, das mil que amaste)
         Com ódio e raiva e dor... que ter sonhado

         Os sonhos ideais que tu sonhaste!" -

Antero de Quental in "Sonetos"



Obrigada pela sua visita. Volte sempre.

1 comentário:

Luís Coelho disse...

Uma foto excelente e um poema com o selo de qualidade - Antero de Quental.

O Outono tem certa magia que nos encanta e este poema ainda acentua essa viagem.