quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Óbidos: Igrejas

Num país maioritariamente cristão, Óbidos não foge à regra e, ao longo dos tempos, foram construídos vários locais de culto espalhados pela vila.
Destaco hoje algumas igrejas situadas intra-muralhas.

Igreja de Santa Maria:
Das igrejas existentes na vila, esta é  a mais antiga e actualmente é a igreja matriz.
Fundada pelos Godos para o culto cristão, foi mais tarde  transformada em mesquita pelos Árabes, até que a reconquista de Óbidos por D. Afonso Henriques, em 1148, devolveu ao templo o culto cristão.


Em finais do século XV, a Rainha D. Leonor mandou proceder à construção da torre sineira e a profundas reformas na igreja.
Pensa-se que o terramoto de 1535 a deixou bastante danificada , razão pela qual a rainha D. Catarina a mandou  reconstruir.
Anos mais tarde, foi novamente beneficiada e decorada com revestimentos de majestosos painéis de azulejos,  pinturas atribuídas a Josefa de Óbidos, e o Altar Mor e  teto ricamente trabalhado.


Igreja de São Pedro: 

Este templo foi fundado a Idade Média, mas foi destruído durante o terramoto de 1755.   Da construção inicial restaram pouco mais que  vestígios do antigo portal gótico, na fachada.
No seu interior, destacam-se a nave e o  retábulo de talha dourada do período joanino. 
Igreja de Santiago:
Igreja de Santiago - Óbidos
Local: Óbidos
Foto: Nuno Félix Alves
Este templo foi mandado construir por D. Sancho I e data de  1186. Era a igreja que servia o castelo e tinha a porta virada para o seu interior. Tinha   três naves e era frequentada pela família real sempre que ali permanecia.  Tinha rês naves e estilo gótico. 
O terramoto de 1755 deixou-a completamente em ruínas, sendo mais tarde reerguida. No entanto, o actual templo nada tem a ver com o  original onde até a porta ficou virada para a Rua Direita.
Foi colegiada e serviu os romeiros dos Caminhos de Santiago.
Actualmente foi transformada numa Grande Livraria, onde se podem encontrar Livros, mas também se podem assistir à projecção de filmes, debates e exposições.


Obrigada pela sua presença. Volte sempre.





Sem comentários: