sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Por Que É Fim de Semana: Casalinho de Baixo e Casalinho de Cima

Porque é fim de Semana vamos conhecer mais algumas aldeias do concelho Góis.
Continuamos o périplo pela freguesia de Góis e vamos até ao Casalinho de Baixo e Casalinho de Cima.



 Casalinho de Baixo:
Casalinho de Baixo


O Casalinho de Baixo foi originalmente constituído por uma quinta e várias casas rústicas na proximidade, e é agora uma aldeia atractiva com habitações modernas e velhas lado ao lado. 
Casalinho de Baixo

A povoação tem bons terrenos planos que outrora constituíam o leito de um lago, e existe também um velho sistema de irrigação, ainda preservado e utilizado para regar as terras. 

Casalinho de Baixo

Perto da aldeia corre o rio Ceira e uma nova ponte pedestre em aço possibilita o acesso à outra margem. 
O Casalinho de Baixo é uma aldeia tranquila. Uma peculiaridade desta, são as numerosas vinhas que passam por cima das ruas, dos pátios e carreiros, oferecendo sombra durante o Verão, e claro que as uvas são aproveitadas para fazer vinho.

Casalinho de Baixo

Mesmo na parte superior das terras planas situa-se a velha quinta onde o alfaiate do lugar costumava viver e abaixo existe o moinho da aldeia, construído em 1809. 

 Casalinho de Baixo
Este é um dos maiores moinhos, tem três grandes mós, uma delas trabalha diariamente, fazendo farinha do milho que cresceu na aldeia.


Casalinho de Cima:
Casalinho de Cima


O Casalinho de Cima é uma pequena colecção de casas velhas e tem a vista para o vale em direcção a Góis.
Quando se aproxima à aldeia, vindo de Góis, dá-se conta de um grupo de enormes árvores de eucalipto, das quais os troncos chegam a ter um diâmetro de quase um metro. Os eucaliptos foram plantados há 40 anos, altura em que muitas plantações foram feitas. Estes entretanto nunca foram cortados o que fez que chegassem a atingir este tamanho.

Casalinho de Cima

Uma estrada estreita sobe até à pequena aldeia de Casalinho de Cima. As casas da aldeia são construídas com pedras redondas de quartzito, originalmente depositadas pelos glaciares que gravaram e formaram a região.
A técnica local de construção demonstra-se na utilização de barro e pequenas peças de pedra para segurar as pedras redondas no seu lugar. Do fontanário, no centro da povoação, tem-se a vista da vila de Góis e o horizonte é dominado pelo dramático cume da Peneda de Góis.

Casalinho de Cima

Por baixo do Casalinho de Cima encontra-se a magnífica velha Quinta da Capela, construída no século XVII por Barreto Chichorro, uma das mais importantes famílias deste tempo. A Quinta foi agora designada Monumento Nacional. No terreno desta encontra-se um dos maiores pinheiros de Portugal.




 Texto e fotos de  http://www.goisproperty.com
Obrigada pela sua presença. Volte sempre.



1 comentário:

Maria Rodrigues disse...

Excelente reportagem
Obrigado por esta linda visita virtual.
Beijinhos
Maria