quarta-feira, 10 de abril de 2013

Nada Nos Falta, porque Nada Somos


Serra do Açor

Ao longe os montes têm neve ao sol,
Mas é suave já o frio calmo
Que alisa e agudece
Os dardos do sol alto.

Hoje, Neera, não nos escondamos.
Nada nos falta, porque nada somos.
Não esperamos nada
E temos frio ao sol.

mas tal como é, gozemos o momento,
Solenes na alegria levemente,
E aguardando a morte
com quem a conhece.


Ricardo Reis (Fernando Pessoa)
in "Odes"
 

 

Obrigada pela sua visita. Volte sempre.




1 comentário:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Um poema triste como todos os que falam da morte, da vida sem esperança numa espera fria e ausente...