quarta-feira, 27 de abril de 2016

Lisboa: Convento da Madre de Deus III

Actualmente, uma grande parte do Convento da  Madre de Deus é utilizado como um dos mais importantes espaços museológicos portugueses -  o Museu Nacional do Azulejo.

Ao longo dos tempos, o Convento foi alvo de vários melhoramentos nomeadamente a colocação de painéis de azulejos adornando grande parte das suas paredes.

Mais tarde, o Convento recebeu vários painéis de azulejo, provenientes doutros edifícios, para serem integrados na decoração  do edifício. No entanto, isso  só viria a acontecer, na altura das comemorações dos 500 anos do nascimento da Rainha D. Leonor. 


Em 1958, o Convento passou a ser utilizado como  Museu  do Azulejo, sob a alçada do Museu Nacional de Arte Antiga e, em 1980, tornou-se  independente passando a  Museu Nacional.

Actualmente, integra uma vasta colecção de azulejos portugueses, espanhóis e holandeses, que vai do séc. XV à actualidade.
Eis mais alguns exemplos:






E, para terminar, a "jóia da coroa" do Museu, patente na  sala de exposição do terceiro andar. É um exemplar único, representando  Lisboa antes  do terramoto de 1755, que  pertenceu ao Palácio dos Condes de Tentúgal. A representação mostra a capital do país de Xabregas a Algés  e pensa-se ser datado de 1700.


Por tudo o que atrás descrevi, este é um local lisboeta de visita obrigatória, onde para além de toda a imponência do Convento, podemos ficar a conhecer a história da azulejaria através dos tempos . 

Obrigada pela sua visita. Volte sempre.





Sem comentários: