quinta-feira, 16 de maio de 2013

Linguagem da Minha Aldeia - P

Continuando o tema iniciado em: Linguagem da Minha Aldeia,  hoje vêm as palavras começadas com:
P

Paleio - conversa
Palanquim - saliência junto a uma janela que foi rasgada até baixo fazendo porta com pavimento normalmente de granito e cercado de ferro forjado de vários efeitos decorativos, varanda.
Palheira – pequena casa de dois andares, onde se guardavam as colheitas e alfaias agrícolas (1º andar) e cujo rés do chão servia de habitação dos animais.
Pão-leve -  Pão-de-ló
Papejar -  Diz-se da chama do candeeiro a petróleo ou da candeia quando não quer atear o pavio e fica intermitente
Passarinha - O mesmo que baço
Paveia - molho pequeno
Peçonha- veneno
Pedives -  pevides
Peixe-cabeçudo - girino
Péla - frigideira
Penca - nariz grande
Perdigotos - gotas de saliva que saem da boca quando se espirra ou se fala.
Pernão - ímpar.
Persinar - persignar, sinal da cruz na testa, boca e peito
Peste - Raio
Pila - galinha; interjeição usada no chamamento das galinhas.
Pilheira -  sítio onde se depositava as cinzas da lareira, um pouco por trás da fogueira
Pintor (uvas) – cor de amadurecer
Piretas – candeeiro a petróleo
Pisco – pessoa que come pouco
Pita - franga
Pito - frango
Pito-calçudo - mal vestido
Pitról - petróleo
Poça - pequena represa para juntar a água de um pequeno nascente
Postigo - janela pequenina
Pragana – espécie de casca de cereal
Prentar -  pôr
Purga - Vinho azedo ou de má qualidade, mixórdia
 photo P3060634.jpg








Obrigada pela sua visita. Volte sempre.







Sem comentários: