quinta-feira, 26 de junho de 2008

UM POUCO DE POESIA II

Escrever é também não falar. É calar-se. É gritar sem ruído.
(Marguerite Duras)



§§§§§------§§§§§


DA MINHA ALDEIA


Da minha aldeia vejo quanto da terra se pode ver no Universo...

Por isso a minha aldeia é tão grande como outra terra qualquer

Porque eu sou do tamanho do que vejo

E não, do tamanho da minha altura...

Nas cidades a vida é mais pequena

Que aqui na minha casa no cimo deste outeiro.

Na cidade as grandes casas fecham a vista à chave,

Escondem o horizonte, empurram o nosso olhar para longe de todo o céu,

Tornam-nos pequenos porque nos tiram o que os nossos olhos nos podem dar,

E tornam-nos pobres porque a nossa única riqueza é ver.





Sem comentários: