segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Pelos Caminhos de Portugal: Convento de Mafra


Após a aposentação tem-me sido possível descobrir alguns recantos do nosso país ou revisitar outros onde me deslocava com os alunos  e onde a minha atenção estava mais direcionada para as crianças.
No passado fim de semana, estive em Mafra, mais precisamente numa visita àquele que vulgarmente chamamos  «Convento de Mafra» e que engloba o Palácio, o Mosteiro, a Biblioteca e a Basílica.

Mafra: Pal photo PA070110.jpg

Este imponente monumento, foi mandado construir pelo monarca português D. João V, fruto duma promessa feita por não ter  um filho que lhe sucedesse.
A rainha acabou por lhe dar um herdeiro e o rei mandou projetar um convento para  109 franciscanos. No entanto, com a entrada  do ouro do Brasil nos cofres portugueses,  D. João V tornou-se mais ambicioso e, não olhando a despesas, mandou erigir um convento maior, que seria complementado por um palácio destinado a residência de Verão da família real e que recebia também  a corte em ocasiões de  caçadas na Tapada de Mafra.
 
Mafra photo PA070112.jpg
Estátua de D. João V, em frente ao Palácio
 
Nos cerca de  200 metros de fachada, destacam-se a igreja ao centro, delimitada por duas torres sineiras e ladeada pelas duas alas do palácio: a ala Norte destinada ao Rei e a ala Sul  destinada aos aposentos da Rainha.

Mafra: Torre Sineira da Bas photo PA070181.jpg
Uma das torres sineiras da Basílica
 
A ligar as duas alas existe um corredor  de aproximadamente 230 m, que dão entrada para as diversas divisões do palácio e convento e,  que era obrigatoriamente percorrido,  pelo monarca, duas noites por semana, para se encontrar com a rainha.

Mafra: Pal photo PA070159.jpg
Um dos Quartos do Palácio
 
Todas as divisões do palácio foram sumptuosamente decoradas com as melhores mobílias e obras de arte da época e o palácio concorria em grandeza e riqueza  com os melhores da Europa, contrastando com o estilo de vida humilde dos monges franciscanos que coabitavam o edifício.

Mafra: Cela de Monge no Convento photo PA070114.jpg
Cela dos Monges
Do espólio que recheava o palácio já pouco existe, pois a parte mais valiosa acompanhou a família real para o Brasil, durante as invasões francesas. No entanto, daquilo que resta nas inúmeras dependências, abertas ao público, ainda se pode imaginar um pouco do que foi um dos mais grandiosos monumentos construídos no séc. XVIII.

Mafra: Pal photo PA070166.jpg
Sala de Caça
 
Deste monumento,  os realces vão para a Biblioteca,  Basílica e para os famosos Carrilhões.
A monumental Biblioteca de valor incalculável, revestida a mármore, alberga uma valiosa coleção de cerca de 40 000 livros, ricamente encadernados nas oficinas do convento e que podem ser consultados mediante marcação prévia e aceitação de  regras de preservação.

Mafra: Biblioteca photo PA070176.jpg
Biblioteca
A igreja de três naves, é também grandiosa. Sobressaem, para além dos mármores italianos e portugueses, a cúpula magistral, as várias capelas, esculturas e os seus seis órgãos.

Mafra: Bas photo PA070153.jpg
Interior da Basílica
A visita incluiu também a cozinha, a botica, algumas celas dos monges e o hospital composto por uma capela, dentro da qual há  uma série de celas, cujas camas eram deslocadas para o corredor central, dando a possibilidade  aos doentes  tomarem parte nos atos religiosos.
 
Mafra: Hospital do Convento photo PA070123-1.jpg
Hospital do convento
Este bem conservado  exemplar do barroco português, de grande valor turístico e patrimonial é, sem dúvida, uma visita que recomendo. O preço é acessível e a colaboração de um guia será decerto, uma mais valia, que  a tornará numa experiência muito mais enriquecedora.

 

Obrigada pela sua visita. Volte sempre.
 
 

Sem comentários: