domingo, 28 de setembro de 2008

À DESCOBERTA DO AÇOR II



Seja senhor de tuas vontades, e escravo de tua consciência.
(Aristóteles)


§§§§§------§§§§§

Há muito que tinha uma grande vontade de conhecer outras paragens da serra do Açor.
Este ano aproveitei para visitar Fajão, uma das aldeias de xisto, de onde é oriunda parte da família do meu pai.
Então lá fomos.
Partimos de manhã e seguimos para a serra. Virando para o outro lado das montanhas, seguimos a estrada que nos conduziria ao nosso destino.
A paisagem que se espraiava aos nossos olhos era soberba. Montes e vales estendiam-se à nossa frente. No sopé dos montes descortinávamos pequenas aldeias com as suas casas que mais pareciam casinhas de bonecas.
Os Parrozelos, o Porto Castanheiro, o Ribeiro ficavam para trás. Ao longe já se avistavam as Gralhas e a Ponte de Fajão com o Ceira serpenteando por entre as encostas da serra.



- Gralhas -
- Ponte de Fajão -

A paisagem ia-se alterando e, aos nossos olhos, as encostas apareciam rochosas e escarpadas apresentando formas caprichosas - os Penedos de Fajão.
Entre os gigantescos penedos apareceu-nos por fim a povoação de Fajão, o nosso destino.
Logo à chegada e ao fazermos algumas perguntas sobre a região, fomos recebidos pelo Presidente da Junta de Freguesia.
Em poucos minutos falou-nos da sua aldeia, do Parque Eólico, das tradições e em especial dos célebres Contos de Fajão.



- Vista geral da aldeia de Fajão -


- O Lar de terceira idade -



- Museu Monsenhor Nunes Pereira -


- Restaurante O juiz de Fajão -



Deixo aqui o link para quem não conhecer os Contos de Fajão, :
http://pontefajao.no.sapo.pt/contos/contos.htm




Sem comentários: