terça-feira, 30 de setembro de 2014

Aldeias Homónimas: Cerdeira

Após o Verão regresso aos temas do blog. Desta vez, as localidades homónimas que vamos conhecer são as denominadas por Cerdeira.

Cerdeira (Concelho de Arganil)
A antiga freguesia de Santo António de Cerdeira, também conhecida por Cerdeira de Coja, foi curato da apresentação do vigário de Coja. Durante muitos anos, foi sede de freguesia e, na última reforma administrativa, foi agregada à da Moura da Serra, formando a União das Freguesias da Cerdeira e Moura da Serra.
Esta localidade, fica localizada numa zona de grande beleza natural, de características ímpares, rodeada por paisagens verdejantes  onde se podem encontrar recantos pitorescos, sendo parte integrante da Serra do Açor.
Cerdeira photo Cerdeira.jpg

Cerdeira (Lousã)
No vizinho concelho da Lousã, localiza-se uma outra aldeia com o mesmo nome que faz parte da rede das Aldeias de Xisto.
É uma pequena mas bonita aldeia, à entrada da qual existe uma pequena ponte sobre a ribeira da Cerdeira, onde exite um pequeno parque de merendas e ao longo da qual são visíveis vários moinhos. 
Na povoação existe também, uma produção biológica de ervas aromáticas e um atelier de artesanato.

 Foto: turismo.pt
Cerdeira Sabugal
No concelho do Sabugal, vamos poder encontrar outra Cerdeira, também conhecida por Cerdeira do Côa.
É sede de freguesia, dista  22 km do Sabugal e é atravessada pelo rio Noéme. Da freguesia,  fazem também parte, a  povoação da Redondinha e dois lugares abandonados em meados do século XX: Azinheira e Santo Amaro do Cortelho.
A aldeia da Cerdeira é muito antiga. A primeira referência à povoação aconteceu no primeiro foral de Castelo Mendo em   1229, concedido por D. Sancho II, no entanto,foi em 1253 que D. Afonso III concedeu também foral à Cerdeira.
Do património da povoação destacam-se:
Igreja Matriz, no largo da Igreja, dedicada a Nossa Senhora da Visitação.
Torre do Relógio, que terá sido construída a partir das ruínas duma torre de atalaia medieval.
Ponte românica de granito com seis arcos perfeitos, sobre o rio Noéme. Apesar de ser conhecida como ponte romana, tudo indica ter sido construída na segunda metade do século XIII.
Capela do Senhor dos Aflitos, situada numa das entradas  da ponte sobre o rio Noéme.
Forno Comunitário, no largo da Praça.
Há também na povoação, um cruzeiro,  cinco chafarizes em pedra e duas fonte.


Foto: Panoramio







Obrigada pela sua visita. Volte sempre.





segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Encontrei-me com o Passado


Olhando aquele retrato mal consigo conter  a emoção. Dói a alma ao ver aqueles campos desertos. São caminhos que percorri que não são mais os mesmos. Hoje estão quase impenetráveis e  a desertificação é cada vez mais visível. Encontrei-me com o passado e a  nostalgia ataca-me forte. A saudade dói e, por momentos, aquele local parece ganhar vida.
Vejo-me  a rabujar pelas topadas nas penedas e pelas ervas da beira do caminho que me mordem as pernas, na descida a caminho do pontão da ribeira, Do outro lado da ribeira  aguarda-me uma penosa subida, numas escaleiras rasgadas numa fraga  de xisto. Atrás de mim, a tia Leonilde incentiva-me carinhosamente. Avisto já o Coberto e o ti Gaspar sentado à porta da palheira, com uma malga de café sobre os joelhos e um naco de broa na mão. Damos-lhe a salvação e continuamos o nosso percurso. Uns longos metros após a subida,  já avisto a tia Delfina junto à palheira e o  ti Zé Miguel com o seu rebanho.

A visão das pessoas dá-me mais alento e prossigo,  saltando sobre os montes de borralho, levantando uma nuvem de pó à minha volta. Lá está a tia Assunção com os filhos, no meio do milho aproveitando as poucas horas de rega.  A minha tia já vai a chegar e, daí a nada, corta-lhe  a água.

Na Feiteira, do outro lado da ribeira, lá está o ti Cristiano a pôr o mato no curral das cabras, enquanto a Marquitas, a Isabel e a Natividade brincam com os chibitos.

Já avisto o Cabeço e oiço a tia Silvina a falar. Rapidamente, desço o caminho para a palheira,  seguindo o cheirinho a café que a minha avó está a fazer. A tia Silvina chama-me. Quer saber notícias dos meus pais  e dá-me notícias do Sobral Gordo. Entro na palheira, onde  o meu avô já está com o leitinho acabado de ordenhar, para juntar ao meu café.

Sinto-lhe o cheiro, mas o retrato continua ali, sem vida a mostrar-me a verdade nua e crua e, uma lágrima teimosa encontra caminho e escapa pelo meu rosto abaixo.



Obrigada pela sua visita. Volte sempre.




sexta-feira, 26 de setembro de 2014

À Descoberta do Mundo. Moscovo: Metro


Vou hoje concluir a minha descrição dos principais locais e monumentos que visitei na minha recente viagem à capital da Rússia. 
Prepositadamente, deixei para o final o famoso metro  de Moscovo,  a jóia subterrânea da  cidade, inaugurado em 1935 durante o governo soviético. Era, nessa época, chamado o  Palácio do Povo.
As suas sumptuosas estações  foram construídas com materiais luxuosos, entre outros,  vários  tipos de mármore, granito, ónix, vitrais, mosaicos, murais esculturas e lustres dignos de qualquer palácio. Os mais importantes artistas da época deixaram ali a sua marca. O regime soviético, que governava na época, pretendia mostrar ao resto do mundo, o poder e riqueza do regime.

Este, que é actualmente o principal meio de transporte dos moscovitas, foi também preparado para servir de abrigo à população, em caso de bombardeio da cidade.

Toda a cidade me surpreendeu   mas , sem dúvida, foi o Metro que mais me impressionou.
Eis as fotos de algumas das estações mais bonitas.
Estação de Komsomolskaia (3)
Metro Estação de Kievs Kaia (4)

Metro Estação de Kievs Kaia (6)

Metro Estação de Kievs Kaia


Estação de Komsomolskaia (5)









Metro Estação de Kovoslobodskaia (3)

DSC02401

Metro Estação de Kovoslobodskaia (4)




DSC02385

Numa das estações, um painel da autoria da portuguesa Graça Morais.
Metro Painel de Graça Morais (2)






Obrigada pela sua visita. Volte sempre.

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

À Descoberta do Mundo: O Mosteiro da Trindade-São Sérgio - Serguiev Posad


Numa pequena cidade a 75Km a nordeste  de Moscovo, fica o Mosteiro da Trindade de S. Sérgio, o centro espiritual da Igreja Ortodoxa Russa e um dos mais importantes locais de peregrinação deste país. Como é normal, é um dos orgulhos dos moscovitas que o incluem nos roteiros turísticos.
Partimos do Holliday Inn onde estávamos hospedados, em hora de ponta o que tornou os 70 Km que nos separavam de Serguiev Posad numa viagem bastante demorada, mas que nos permitiu apreciar os arredores de Moscovo e as suas cidades satélite. Passámos perto do Museu da Aeronáutica donde se destacam alguns monumentos relacionados com a conquista o Espaço, feita pelos russos.

Museu da Cosmonáutica


Chegados a Serguiev Posad, logo avistámos as famosas cúpulas tradicionais das igrejas e catedrais russas, que nos indicaram o local que íamos visitar. Em redor, um bonito espaço envolvente, com jardins, habitações típicas  e muitas lojinhas de comércio artesanal.

DSC02288


Entrámos no mosteiro fundado em 1345 por Sérgio de Radonej, um dos santos mais venerados do país, pela Torre Bela, onde apreciámos frescos sobre a vida de S. Sérgio.

Torre Bela
Entrada: Torre Bela


Muitas flores, muita limpeza e um estado de conservação irrepreensível dos monumentos, caracterizam todo o espaço. Havia fiéis e turistas  por todo o lado.

DSC02314


Durante o regime soviético as igrejas deixaram de ser utilizadas para fins religiosas e foram  transformadas em museus. Durante a segunda grande guerra, Stalin devolveu o mosteiro à igreja ortodoxa.

 DSC02326

Atualmente, este complexo religioso é habitado por cerca de 300 monges e  possui, para além das igrejas, um hospital , os aposentos do Czar e  o Palácio dos Metropolitas.

Entrámos em algumas das várias catedrais e admirámos a arquitectura grandiosa e diversificada dos vários templos religiosos e outros edifícios.
De entre todos destaco os seguintes: 

DSC02296
 Catedral da Assunção
DSC02298
Igreja de São Sérgio

Catedral da Santíssima Trindade
Catedral da Santíssima Trindade
DSC02299
Igreja do Espírito Santo
DSC02317
Torre dos Sinos
Após uma caminhada pelo recinto do santuário, observando toda a zona envolvente das catedrais, saímos para almoçar num restaurante típico da cidade, após o qual, regressámos a Moscovo.

DSC02334



Obrigada pela sua visita. Volte sempre.

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

À Descoberta do Mundo: Moscovo

Em Moscovo existem mais pontos de interesse para além do Kremlin e da Praça Vermelha. Saindo do Kremlin, pela Torre Borovitskaya, vamos partir à descoberta doutros locais emblemáticos da cidade.
Logo em frente, um enorme portão de ferro convida-nos a entrar  num bonito espaço verde e florido - os Jardins de Alexandre. Este local foi mandado construir pelo czar Alexandre I após as guerras napoleónicas e foi um dos pri­mei­ros par­ques públi­cos  de Moscovo.

Moscovo Jardim de Alexandre

É composto por três jardins separados, que se estendem ao longo de todo o comprimento do Kremlin onde se podem apreciar várias fontes e estátuas. 

Monumento dos soldados desconhecidos com o fogo

Logo à entrada, o nosso olhar depara de imediato com o Túmulo do Soldado Desconhecido,  em memória dos mortos na II Guerra Mundial.

DSC02765

Por baixo duma das torres do Kremlin, uma gruta contrasta com a parte restante dos muros, pois   surge na  parede um espaço completamente diferente, construído com pedras de antigas casas russas, que sobraram do incêndio que devastou  Moscovo, antes da invasão das tropas de Napoleão.
Não muito longe, chegamos a um espaçoso parque, ao fundo do qual se destaca o edifício do teatro Bolshoi.  

Moscovo Bolshoi

Em frente ao teatro, uma grande estátua  de Karl Marx, tendo na base uma inscrição em russo dizendo "Trabalhadores do mundo - uni-vos!" e duas   fontes completam esta espaçosa e bonita praça.
Andando um pouco mais chega-se à mítica rua Arbat, uma das mais antigas de Moscovo e das que mais turistas atrai. É uma artéria pedonal onde se pode encontrar uma grande variedade de lojas: restaurantes, bares, livrarias, museus, hoteis, .... Ali existe  toda a espécie de  artesanato tradicional russo, mas a preços exorbitantes.


Rua Arbat (2a)

Percorrendo as ruas ao longo do rio Moscovo, vamos passar pelo monumento a Pedro o Grande, pela Catedral de Cristo Salvador, um belíssimo templo da Igreja Ortodoxa Russa que se destaca pelas suas cinco cúpulas douradas, até chegar  ao "Monte dos  Pardais", no alto do qual se encontra a Universidade Lomonossov. Dao miradouro junto à Universidade  pode-se contemplar uma das mais belas panorâmicas da cidade.

Moscovo Estádio Olímpico Lujniki


Perto do rio Moscovo, encontra-se  o famoso convento de Novodiévichi  e seu lago. 
O  convento está rodeado por um muro com 12 Torres e  é formado pela Igreja da Assunção, o campanário, a Igreja da Transfiguração,  a Igreja da Santa Virgem, o refeitório, a Igreja de St Amvrosi e um cemitério onde jazem grandes figuras russas.

Convento de Novodevichiy ( Convento Novo das donz No exterior é imperdível um passeio pelo parque e  margens do lago que inspirou Tchaikovsky a commpor o Lago dos Cisnes.

Convento Novodévitche lago Cisnes (2)





Obrigada pela sua visita. Volte sempre.


terça-feira, 23 de setembro de 2014

Moscovo: Kremlin III

A origem do Kremlin vem da época da fundação de Moscovo em 1156, quando foi mandada  construir uma paliçada no local, com um fosso em volta, a servir de proteção.
Só em 1339, foram levantadas paredes e as primeiras torres do Kremlin e em 1487, o grão-duque Ivan III, mandou construir o palácio das Facetas que é o mais antigo edifício  preservado de Moscovo.
O nome do palácio deve-se ao facto de ser revestido com  pedras angulosas  que dão a ideia  de serem diversas facetas.
Palácio das Facetas

Seguiram-se outros importantes palácios, residências de czares e czarinas,  bem como majestosos edifícios religiosos, até que no século XIX, no local onde se encontravam dois destes palácios, por ordem de Nicolau I,  começou a construção daquele que ficou conhecido como Grande Palácio do Kremlin. 


Grande Palácio do Kremlin1


O Grande Palácio do Kremlin é, tal como o nome  indica, um grande edifício com uma fachada principal com 125 metros de comprimento e uma altura de 44 metros. Conta com cerca de 700 divisões distribuídas por dois pisos, que serviram de residência aos czares ou, na época em que a capital se fixou em São Petersburgo, para alojamento da família imperial de cada vez que se deslocavam a Moscovo. Atualmente, é residência oficial do presidente russo Vladimir Putin.

Palácio do Arsenal Kremlin2


Junto a este palácio e à Torre Borowizki, encontra-se o Palácio do Arsenal,  onde se localiza  um dos mais famosos museus russos. Ali se pode apreciar uma extraordinária coleção de peças de valor incalculável.


                                   





Terminamos hoje os posts dedicados ao Kremlin. Continuaremos em Moscovo nos próximos dias, para conhecer mais alguns lugares de interesse  da cidade e arredores.


Obrigada pela sua visita. Volte sempre.

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Moscovo: Kremlin II

No Kremlin, tudo é majestoso, mas o que mais me impressionou foram os edifícios religiosos.
Numa das praças mais bonitas deste complexo, a Praça das Catedrais, localizam-se alguns dos mais belos templos religiosos da capital russa. São eles: 

Igreja da Deposição das Vestes:

Torres da Igreja da Deposição das Vestes Kremli

A construção da Igreja da Deposição das Vestes  foi iniciada em 1484 no local de uma igreja anterior. Originalmente,  serviu como capela privada do Patriarca de Moscovo mas, durante o século XVII passou a sê-lo da família real russa. 
Atualmente a igreja exerce funções de museu.

Catedral do Arcanjo São Miguel:
Moscovo Catedral do Arcanjo São Miguel

A Catedral do Arcanjo São Miguel, patrono do exército russo,foi construída entre 1505 e 1508, no lugar de uma antiga catedral, fundada em 1333.
No seu interior, destacam-se valiosos ícones dos séculos XVII-XIX, frescos  dos séculos XVI e XVII, bem como os candeeiros  do século XVII.
Tem cinco cúpulas representando Jesus Cristo e os Quatro Evangelistas e, no  o exterior,  nichos semicirculares  ornamentados com motivos florais.
Durante muito tempo, ali foram sepultados os
czares e  príncipes russos, entre os quais
Ivan, o Terrível, e seus filhos Ivan e Fyodor.


Catedral da Dormição ou Catedral da Assunção:
Catedral da Dormição Catedral da Assunção (3)
 Catedral da Dormição ou Catedral da Assunção
A Catedral da Dormição  é a igreja principal de Moscovo e foi construída em 1475, também ela, no local onde já tinha existido uma outra.
Esta catedral foi palco da  coroação de vários czares, bem como da  cerimónia de instalação de alguns   chefes da igreja ortodoxa russa.


Catedral da Anunciação:

Moscovo Catedral da Anunciação (3)
A Catedral da Anunciação foi construída  entre 1484 e 1489, no local duma antiga catedral do século XIV com o mesmo nome, e foi sempre a igreja dos Grandes Príncipes que viviam no belo palácio.
Tinha inicialmente três cúpulas às quais foram acrescentadas outras, em três das suas fachadas. Mais tarde, foram construídas mais quatro capelas laterais rematadas também com cúpulas.
As cúpulas e os portais das entradas norte e oeste são de cobre  folheados a ouro.
O seu interior é duma grande riqueza. As paredes são cobertas de belos frescos e o conjunto de ícones pintados pelos mais famosos mestres da pintura russa, que fazem parte do Patrimônio da Humanidade. 


Campanário de Ivan III

Moscovo Campanário de Ivan III
No local onde existia a igreja de São João Lestvinichnik, Ivan, o grande mandou construir um campanário, desenhado de acordo com o seu próprio projeto.
A construção deste campanário, com uma altura total de 81 m,  foi concluída em 1505 e, na época, era o edifício mais alto de Moscou. Ao lado do campanário, fica a famosa torre do sino (que abriga 21 sinos: o mais velho, Uspenski, pesava 64 toneladas. 
Para além dos templos religiosos, existem outros pontos de interesse na zona das catedrais.

O Sino do Czar:

Sino do Czar(200 Tonel)

Ao pé do campanário encontra-se o famoso Sino do Czar, fundido no século XVIII sendo o maior sino do mundo, com mais de 200 toneladas. Tem um pedaço partido mas  está sempre rodeado de turistas curiosos com  este objeto de tão grandes proporções.

O Canhão do Czar:
Canhão (fabricado em 1586)















O Canhão do Czar  é uma peça  da coleção artilharia do Kremlin, fabricado em 1586
É célebre pois é conhecido como o maior canhão do mundo, pesando cerca de 200 toneladas. É de  bronze, todo decorado, com pequenas inscrições e uma imagem do czar. Nunca foi usado e nunca fez qualquer disparo, mas tal como o sino do czar é objeto da curiosidade dos visitantes do Kremlin. 
vamos deixar a zona das catedrais e vamos seguir para os palácios do Kremlin, que serão tema do próximo post.







Obrigada pela sua visita. Volte sempre.

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Moscovo: Kremlin I


O Kremlin é um complexo de edifícios civís e religiosos onde se encontra atualmente a residência oficial do Presidente da Federação Russa. 

Torre da Anunciação
Muralhas do Kremlin e Torre da Anunciação
Em redor foram construídas  muralhas fortificadas, para cercar os limites de Moscovo antiga que  é atualmente o coração da cidade.


Torre da Trindade
Torre da Trindade

Em toda a extensão das muralhas  existem 20 torres, das quais a principal é a Torre do Salvador (ou Torre Spasskaya). 

Torredo Salvador Kremlin
Torre do Salvador
As outras são as torres do Senado, São Nicolau, Arsenal do Canto, Arsenal do Meio, Trindade, Comandante, Armaria, Borovitskaya, Água, Anunciação, Segredo, duas torres sem nome, Beklemishev, São Constantino e Santa Helena, Alarme e finalmente a Torre do Czar.

Torredo Czar
Torre do Czar

Em frente à Torre da Trindade, no exterior do Kremlin, situa-se ainda a Torre Kutafya




Obrigada pela sua visita. Volte sempre.